Adaptações

Série: The Handmaid´s Tale, 2017

Sinopse: Depois que um atentado terrorista ceifa a vida do Presidente dos Estados Unidos e de grande parte dos outros políticos eleitos, uma facção católica toma o poder com o intuito declarado de restaurar a paz. O grupo transforma o país na República de Gilead, instaurando um regime totalitário baseado nas leis do antigo testamento, retirando os direitos das minorias e das mulheres em especial. Em meio a isso tudo, Offred é uma “handmaid”, ou seja, uma mulher cujo único fim é procriar para manter os níveis demográficos da população. Na sua terceira atribuição, ela é entregue ao Comandante, um oficial de alto escalão do regime, e a relação sai dos rumos planejados pelo sistema.

Fonte: http://www.adorocinema.com/series/serie-20677/

Baseado no livro O Conto da Aia(em algumas edições, aparece como a História da Aia), de Margaret Atwood, a série The Handmaid´s Tale se passa em um fututo(não tão) distante onde os Estados Unidos se tornaram uma sociedade regida pela igreja católica. Nesse futuro, a taxa de natalidade é minúscula. Nós acompanhamos a história de Offred, uma mulher que ainda é capaz de gerar, e por isso é uma Aia(ou Handmaid, no inglês) e portanto, sua única finalidade é ter filhos.

O Conto da Aia foi escrito em 1985, e esse ano o livro voltou ás listas de mais vendidos do mundo todo. Aqui no Brasil, onde era difícil de encontra-lo, ele ganhou até uma nova edição da Rocco.

Eu li esse livro no começo do ano e até o momento, essa foi a minha melhor leitura de 2017, então, eu naturalmente esperava bastante da série e não fiquei decepcionada.

A série é muito fiel ao livro, inclusive tendo algumas passagens literais, já que tanto o livro quanto a série são narrados (no caso da série em voz over) por Offred,

Eu gostei muito do elenco escolhido, Elizabeth Moss, que faz a Offred está ótima no papel, assim como Sâmara Wiley, que faz a Moira, a melhor amiga de Offred, mas eu fiquei muito surpresa com a atuação da Alexis Bledel, que para mim sempre foi uma atriz que só funciona em Gilmore Girls. Em The Handmaid´s Tale não só ela interpreta uma das personagens mais interessantes da história, como ela também tem uma das melhores atuações da série e um ponto interessante é que ela é muito parecida fisicamente como a maneira como eu imaginei a personagem quando li o livro.

Outra coisa que eu achei interessantíssima no livro é a variedade de etnias que aparecem na série, embora isso não seja especificado no livro, a série escalou atores negros e asiáticos e a variedade de orientações sexuais que são mostradas, mas isso é um mérito da história original.

Como o livro foi escrito em 1985 e trata de uma sociedade que parece fazer parte de muitos séculos atrás, quando eu li, eu imaginei uma caracterização mais antiga em relação aos figurinos, mas a série fez um ótimo trabalho em modernizar o texto, especialmente nas partes de flash back.

No livro, nós lemos a história do ponto de vista de Offred, mas a série foi um pouco mais além: em alguns episódios vemos o ponto de vista de Moira, de Ofglen(a personagem de Alexis Bledel), de Luke, o marido de Offred e da versão que eu achei mais interessante, Serena Joy, a esposa do homem a quem Offred “pertence”.

Enquanto na história original e no começo da série, Serena é tratada quase como uma vilã que submete Offred a todo tipo de abusos para que ela tenha o que ela deseja, na série nós temos um pouco do que passa na cabeça dela e de como ela, assim como todas as mulheres presas nessa situação, teve que se adaptar aquela nova realidade, o que deu todo um novo significado não só a personagem, mas também a história. The Handmaid´s Tale fala sobre a opressão feminina, não importa de que maneira.

Embora não seja uma série de terror, eu achei a série muito mais assustadora do que muitas histórias de terror, inclusive mais assustadora que o livro, justamente porque todo esse universo criado pela Margaret Atwood é muito real e possível e algumas vezes nem parece tão longe.

O final da primeira temporada foi um pouco diferente do livro, provavelmente porque a série visava uma segunda temporada (que já está confirmada), enquanto o livro só pretendia ser uma história única, o que eu não acho necessariamente ruim e o que deixa um pouco de história para a próxima(ou próximas) temporada.

Real e arrepiante, The Handmaid´s Tale é provavelmente a melhor série desse ano, que merece ser assistida, lida e pensada.

 

Gênero: DramaFicção científica

Temporadas: 1

  Duração: 60 min.

Origem: Estados Unidos

Criação: Bruce Miller

Direção: Mike Barker, Reed Morano

Roteiro: Bruce Miller, Ilene Chaiken

  Produção: Joseph Boccia

  Ano: 2017

Fonte: http://cinema10.com.br/series/the-handmaids-tale

Crédito da imagem: https://en.wikipedia.org/wiki/The_Handmaid%27s_Tale_(TV_series)

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s