livros

Nosferatu, Joe Hill

“Todo mundo que você perde continua com você, então quem sabe na verdade ninguém se perca”

Sinopse: Victoria McQueen tem um misterioso dom: por meio de uma ponte no bosque perto de sua casa, ela consegue chegar de bicicleta a qualquer lugar no mundo e encontrar coisas perdidas. Vic mantém segredo sobre essa sua estranha capacidade, pois sabe que ninguém acreditaria. Ela própria não entende muito bem. Charles Talent Manx também tem um dom especial. Seu Rolls-Royce lhe permite levar crianças para passear por vias ocultas que conduzem a um tenebroso parque de diversões: a Terra do Natal. A viagem pela autoestrada da perversa imaginação de Charlie transforma seus preciosos passageiros, deixando-os tão aterrorizantes quanto seu aparente benfeitor. E chega então o dia em que Vic sai atrás de encrenca… e acaba encontrando Charlie. Mas isso faz muito tempo e Vic, a única criança que já conseguiu escapar, agora é uma adulta que tenta desesperadamente esquecer o que passou. Porém, Charlie Manx só vai descansar quando tiver conseguido se vingar. E ele está atrás de algo muito especial para Vic. Perturbador, fascinante e repleto de reviravoltas carregadas de emoção, a obra-prima fantasmagórica e cruelmente brincalhona de Hill é uma viagem alucinante ao mundo do terror.

Fonte: https://www.saraiva.com.br/nosferatu-7704016.html

Nosferatu é o quarto livro de Joe Hill, famoso por O Pacto, que virou um filme em 2013. O livro praticamente intercala a história de dois personagens: Victoria (Vic) McQueen, uma menina que andando de bicicleta consegue encontrar coisas que foram perdidas e Charles Manx, que tem um dom parecido com o de Vic e que dirigindo o seu carro consegue levar crianças até um lugar chamado Terra do Natal. O caminho de Vic e Charles se cruzam quando ela tem só 17 anos e depois de uma briga com a mãe, acaba indo parar na mesma casa de Manx.

Vic consegue escapar com vida do encontro, e Manx é preso devido as acusações de Vic. Só que essa não é a última vez que os dois vão se encontrar.

Eu gostei muito do livro ter uma protagonista mulher e embora, outros personagens sejam importantes durante a história, ela é focada em Vic. Ela é, aliais, uma personagem extremamente interessante e bem escrita. Nós conhecemos Vic quando ela ainda é uma criança, que mora com os pais, que brigam com uma certa freqüência, conforme o tempo vai passando nós vamos acompanhando a vida dela e entendendo o porque de cada escolha dela e é extramente interessante e triste, já que estamos apegados a Vic, ver como a menina inocente e alegre do começo do livro se torna uma adolescente solitária e problemática e finalmente, uma adulta não tão bem resolvida, mas disposta a mudar.

Outro coisa interessante do livro é como Hill renova totalmente a idéia de vampiro que está presente na nossa cultura. Embora não fique claro em nenhum momento exatamente o que Manx é, a criatura que mais se assemelha é um vampiro, fato que se comprova não só com o nome do livro, mas também com a escolha da placa do carro de Manx (NOS4A2, também o titulo original do livro) e o comentário de Manx de que escolheu essa placa porque sua ex-esposa costumava dizer que ele era um Nosferatu. Com tanta literatura, não necessariamente boa, com vampiros como protagonistas que é produzida hoje em dia, é bom ler um livro onde a idéia é completamente diferente.

E Manx é um vilão assustador, que mistura um pouco de real e sobrenatural. Embora ele tenha poderes, ele fica conhecido como um Serial Killer que mata crianças. Devido as suas habilidades especiais, Manx aparece em momentos e lugares inesperados, isso me fez olhar atrás das portas algumas vezes enquanto eu lia o livro. Outra coisa assustadora nele é que embora para nós ele seja um vilão, ele se vê como uma pessoa boa que só faz o bem para as crianças que caem em suas mãos.

O livro também fala de infância e de como acessamos as memórias e traumas que guardamos dessa época e também como lidamos com isso, afinal, Vic passa a vida não só lutando contra Manx e as lembranças do encontro dos dois, como também tentando entender o poder que ela tem. E toca levemente em temas mais comuns e mais fáceis de identificar como abandono paterno, divorcio, abuso de drogas, abuso infantil, violência domestica e isso é exatamente o que eu gosto em um livro de terror: quando ele tem um tema assustador e sobrenatural como principal e fala indiretamente de outros temas que são mais importantes que qualquer acontecimento fantástico e que precisam ser discutidos. O livro entretém, mas também informa e faz pensar.

Na segunda parte do livro, nós conhecemos outros personagens que fazem parte da vida adulta de Vic, dos quais eu gostei muito. Eu gosto especialmente de livros de terror que tem crianças como protagonistas, porque a primeira coisa que um adulto faria quando colocado diante de uma situação para qual ele não tem uma explicação, seria procurar uma explicação natural para aquilo, mas isso não acontece com as crianças, que são mais propensas a acreditar. Nosferatu não tem só um personagem criança que é importante, mas dois e os dois são muito bem escritos e interessantes.

O fato do livro ter como tema infância também deixa tudo um pouco mais perturbador, especialmente quando finalmente conhecemos a tão falada Terra do Natal. Não existe nada mais sinistro que uma criança que também é uma criatura sobrenatural, e esse livro faz isso com maestria. As crianças da Terra do Natal são medonhas e isso me deixou particularmente assustada e impressionada durante a leitura.

A Terra do Natal em si é extremamente interessante, desde que ela foi citada pela primeira vez, eu já fiquei ansiosa e curiosa para saber como ela era. E embora eu tenha esperado para ler isso, eu achei que a espera valeu a pena, ela é muito bem descrita e é tão assustadora quanto as crianças e o próprio Manx, mas também é sedutora o suficiente para que não se tenha vontade de sair de lá.

O livro começa e termina muito bem, porém durante o meio do livro, teve momentos em que eu achei a leitura um pouco arrastada, talvez o livro não precisasse ter tantas paginas.

Quando eu terminei o livro, eu tive a sensação de que os personagens sobre os quais eu li e por quem eu torci, realmente evoluíram e superaram seus traumas e essa é a melhor forma de terminar um livro. Além disso, o livro ainda deixa um pontinha solta, que mantém o leitor assustado.

 

Capa comum: 624 páginas

Editora: Arqueiro; Edição: 1 (8 de julho de 2014)

Idioma: Português

ISBN-10: 8580412978

ISBN-13: 978-8580412970

Dimensões do produto: 22,8 x 16,2 x 3 cm

Peso de envio: 839 g

Fonte: https://www.amazon.com.br/Nosferatu-Joe-Hill/dp/8580412978/ref=tmm_pap_swatch_0?_encoding=UTF8&qid=1511410782&sr=1-5

Créditos da imagem: https://www.skoob.com.br/nosferatu-388286ed439499.html

Um comentário em “Nosferatu, Joe Hill”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s