Listas, livros

10 Livros sobre Crimes Reais Que você deveria ler

Embora a literatura sobre crimes reais (True Crime Books) não seja muito popular por aqui, ela existe em todo mundo e é quase uma febre nos Estados Unidos (com direito a seção na livraria dedicada ao assunto e tudo).

Aqui no Brasil, quando se fala em literatura policial, geralmente se pensa em livros que contam histórias de crimes ficcionais, por isso, pouca coisa é traduzida e menos ainda escrita em português. Nessa lista, eu reuni alguns dos livros que eu li que falam sobre crimes reais.

1- A Sangue Frio, Truman Capote (1966): A Sangue Frio é conhecido por inaugurar a literatura jornalística. No livro, Capote investiga o assassinato de uma família inteira, no Kansas, do inicio do planejamento do crime até o julgamento e a condenação dos assassinos.

Para escrever o livro, Capote entrevistou familiares e amigos das vitimas e ate os assassinos, que estavam na prisão. Existe até um boato sobre um possível relacionamento amoroso entre Capote e Perry Smith, um dos assassinos.

Toda a pesquisa de Capote, resultou em um dos melhores livros sobre crimes reais que existem, a leitura é fácil e a história é tão interessante que é impossível colocar o livro de lado.

2- Helter Skelter, Vicent Bugliosi (1974): O livro de Vincent Bugliosi não é só uma investigação sobre os crimes atribuídos a família Manson, mas também do homem por trás de tudo: Charles Manson.

Ele fala sobre as técnicas de Manson para controlar e convencer seus seguidores a fazerem tudo que ele pedia e investiga outros possíveis crimes que poderiam estar ligados com Manson e com outros membros da família.

Acompanhando desde a criação da família até o julgamento dos seus membros, o autor também mostra porque esses crimes definiram o final dos anos 60.

3- Zodíaco, Robert Graysmith (1986): Zodíaco conta a história da investigação de Graysmith, um jornalista, de um dos casos mais famosos dos Estados Unidos. O Zodíaco foi um serial Killer que aterrorizou São Francisco, nos anos 60 e 70, ele atacou diversos casais, mandou cartas para a policia e para os jornais, mas nunca foi capturado.

No livro, Graysmith investiga todas as mortes atribuídas ao Zodíaco e faz a suas próprias suspeitas sobre quem poderia ser o Serial Killer, deixando o leitor roendo as unhas em muitos momentos.

Existe muita literatura sobre o Zodíaco, provavelmente porque ele nunca foi capturado, mas o livro mais sério e realista sobre o assunto é certamente o de Graysmith. O livro virou um filme 2007, com Jake Gyllenhaal e Robert Downey Jr.

4- Retrato de um Assassino, Patrícia Cornwell (2002): Patrícia Cornwell, famosa por seus livros policiais de ficção, bancou do seu próprio bolso, uma investigação com direito até a exame de DNA (uma tecnologia que não existia na época dos crimes de Jack, o Estripador) para finalmente descobrir quem foi o Jack, o Estripador. A investigação de Cornwell resultou nesse livro, que hoje em dia, depois da descoberta oficial de quem foi o responsável pelos crimes do Estripador(https://seuhistory.com/noticias/apos-mais-de-um-seculo-identidade-de-jack-o-estripador-e-finalmente-revelada), acabou se tornado ficção, mesmo assim, o livro é interessante e prende a atenção.

5- Serial Killer: Louco ou Cruel?, Ilana Casoy (2008): Aqui no Brasil, Ilana é referencia quando o assunto é crimes reais e Serial Killers. No seu livro mais famoso, ela conta a história de vários casos famosos, de maneira curta e rápida, mas muito clara. É ótimo para quem quer se integrar sobre o assunto.

Ilana também escreveu Serial Killer Made in Brazil, que é focado nos crimes que aconteceram por aqui e que eu também recomendo.

6- 3096 Dias, Natasha Kampush (2010): Escrito em primeira pessoa, 3096 Dias conta a história do seqüestro de Natasha Kampush. Natasha foi raptada em 1998, quando tinha 10 anos e mantida em cativeiro até os seus 18 anos.

Ler do ponto de vista da vitima deixa a leitura completamente mais assustadora, já que estamos com ela em cada minuto do seu cativeiro e vemos tudo pelo qual ela passou. Outra coisa interessante que o livro mostra é a co- dependência que se cria entre Natasha e seu seqüestrador, que embora seja responsável por todo o seu sofrimento, também é a pessoa que a alimenta e que lhe da atenção e como muitas vezes, Natasha se vê completamente ligada a esse homem, mesmo depois que ela sai do seu cativeiro.

3069 Dias virou um filme em 2013.

7- Nó Do Diabo, Mara Leveritt (2015): Nó do Diabo é o resultado da pesquisa de Leveritt, sobre o assassinato de três garotinhos, seguido da condenação de três adolescentes, sem nenhuma investigação, baseada apenas no fato deles serem diferentes do resto da população da cidade.

O livro acompanha os três adolescentes antes de serem presos, durante o julgamento e durante o período em que eles ficaram presos e a história tem tantas reviravoltas que parece ficção. Na nova edição, existe um prólogo que conta como tudo “terminou”.

O Nó de Diabo virou filme em 2014(Com o nome Sem Evidências). Além desse, existe uma série composta por três documentários sobre o caso (Paradise Lost 1, 2 e 3), um outro chamado A Oeste de Memphis e um dos acusados, Damien Echols escreveu um livro falando sobre o mesmo assunto.

8- O Crime da Rua Cuba, Percival de Souza (1989): Esse livro conta a história de um dos crimes mais famosos do Brasil. Um casal assassinado dentro de casa, localizada no Jardim Europa. O caso nunca foi resolvido. O livro é simples e não faz muito rodeios, mas apresenta todos os detalhes e a história é interessantíssima.

9- Sorte: Um caso de Estupro, Alice Sebold (1999): Em Sorte, Sebold narra a história do seu próprio estupro, aos 18 anos, dentro do campus da universidade. Como no caso do livro de Natasha Kampush, nós lemos o livro do ponto de vista da vitima. O livro começa antes do estupro, com Alice contando sobre a sua família e termina com a autora nos contando como ela lidou com a situação.

O nome do livro vem de uma declaração infeliz do policial que atendeu o caso e disse que ela tinha sorte de só ter sido estuprada e não morta.

10- Dália Negra, James Ellroy (1987): Dália Negra foi o apelido dado a Elizabeth Short, uma aspirante a atriz, cujo o corpo foi encontrando mutilado e com sinais de tortura em Los Angeles, o caso nunca foi resolvido. Embora, Ellroy tenha se baseado no caso de Short e use até os nomes reais de algumas pessoas, o livro é uma ficção, mas mesmo assim, o livro é assustador e macabro. As ultimas paginas me deixaram sem dormir por algumas noites.

A mãe de Ellroy também foi assassinada, mais ou menos na mesma época que Short e o caso também nunca foi resolvido (uma história que ele conta no seu livro Meus Lugares Escuros), o que causou no escritor uma verdadeira obsessão pelo assassinato da Dália Negra.

Apesar de o caso nunca ter sido resolvido, o livro tem um final que é tão assustador quanto as fotos do corpo de Short.

Dália Negra virou filme em 2006.

Bônus: Do Inferno, Alan Moore (1989): Assim como Dália Negra, Do Inferno é um quadrinho ficcional sobre os assassinatos do Jack, o Estripador.

Nele, Alan Moore usa de várias das teorias de conspiração que cercam o caso e o resultado é muito satisfatório. Também é interessante ser um quadrinho, por isso não recomendo para quem tem problemas com cenas muito gráficas.

Do Inferno virou filme em 2001.

Créditos da Imagem: https://www.essential-adventure.co.uk/groups/stag/activities/murder-mystery

 

 

14 comentários em “10 Livros sobre Crimes Reais Que você deveria ler”

  1. Tem um autor que você (e o Brasil, lamentavelmente) anda deixando de lado* que é o Jose Louzeiro, jornalista com romances policiais de profundo realismo, baseados em casos reais que a censura dos anos 70 proibia no jornal. Suas obras, Lúcio Flávio, Araceli meu amor, O estranho hábito de viver. Leitura pesada usando o “modo câmera” do noveau roman francês.

    * Dá pra questionar a relevância dele hoje, que a imprensa não está censurada, ainda mais que sua escrita busca “objetividade”, mesmo assim, é um escritor importante, fundador do realismo extremo da Patricia Melo e Ana Paula Maia, enfim. Foi “aluno” do Capote, e se um vale, o outro também, pensando agora.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s