livros

Neverland, Douglas Clegg

“Who knows the truth? You think just cause you grown up you know the truth? You think your gramma even knows the truth just cause she is old? Nobody knows for sure nothing until you die, and then maybe not even then. You just got to stay away from things that dont look good.”

“Quem sabe a verdade? Você acha que só por você cresce você sabe a verdade? Você acha que sua avó sabe a verdade só porque ela é velha? Ninguém tem certeza de nada, até você morrer, e talvez nem assim. Você só tem que ficar longe de coisas que não parecem boas.”
Traduzido livremente por Fernanda Cavalcanti.

Sinopse: O que chama as crianças do interior das sombras escuras da cabana chamada Neverland? Douglas Clegg, autor renomado mistura suspense e horror gótico em Neverland, uma história de segredos mortais e inocência interrompida. O que espreita na cabana? Que tipo de jogos perigosos- e mortais- as crianças fazem lá?
Por anos, a família Jackson passou férias na velha casa Vitoriana da Matriarca, em Gull Island, um lugar cheio de superstições no Sul dos Estados Unidos. Em um verão especial, o jovem Beau segue seu primo Sumter até a cabana escondida entre galhos e arvores, perto do mar.
E dentro de Neverland, o mistério e o terror crescem.
Fonte: https://www.amazon.com/Neverland-Douglas-Clegg/dp/0986350842
Traduzido livremente por Fernanda Cavalcanti.

Em Neverland, conhecemos Beau Jackson, um garoto de 10 anos que viaja com seus pais, suas irmãs gêmeas e seu irmão bebê, Governor para passar as férias na casa de sua avó, no sul dos Estados Unidos. Lá também estão sua tia Cricket, seu tio Ralph e seu primo, Sumter.
Beau e Sumter tem mais ou menos a mesma idade, por isso acabam brincando juntos e Sumter leva Beau até uma cabana que fica ao lado da casa que ele chama de Neverland e aonde coisas misteriosas e sinistras começam a acontecer.
Eu estou muito acostumada a ler livros de terror, mas Neverland tem um clima bem diferente de outros livros que eu já li, não existe quase nenhum respiro no livro, nem uma cena divertida ou emocionante, para quebrar os momentos mais pesados, durante toda a leitura permanece aquela sensação de que algo ruim vai acontecer a qualquer momento.
O livro usa de muitas dicotomias, a principal é a idéia de colocar crianças em situações que seriam difíceis até para adultos, a outra que fica bem clara durante a leitura são as personalidades completamente opostas de Beau e Sumter. Beau é representado como um garoto sensível e gentil, enquanto Sumter é egoísta e frio, e muitas vezes temos a impressão de que Sumter é simplesmente mau.
Neverland, assim como A Coisa e muito da literatura de terror focada em crianças, é na verdade, um romance de formação, por isso, nós lemos sobre diversos ritos de passagens típicos da idade de seus protagonistas e todos os pesadelos que Beau enfrenta são uma maneira de transformar o garoto em homem. Mas o ponto negativo dos livros com crianças como protagonistas (e como narradoras, que é o caso desse livro) é que eles são escritos por adultos e na maioria das vezes, as crianças soam muito mais adultas que os próprios adultos do livro.
Outra coisa que me chamou atenção no livro é a relação com a Terra do Nunca (Neverland no original) das histórias de Peter Pan. Em Peter Pan, a Terra do Nunca é um lugar onde as crianças nunca crescem, já em Neverland, a cabana aonde as crianças brincam se chama Neverland, lá é o lar de uma criatura macabra que deseja que as crianças continuem crianças para sempre. A criatura também é capaz de fazer as crianças terem alucinações e voarem (ou acharem que voaram), mais ou menos como Peter Pan. Por sua vez, a avó de Beau sempre fala sobre sua filha mais velha, Babygirl, que morreu ainda jovem, mas que mesmo depois de adulta continuou sendo criança, dando a entender que Babygirl tinha algum atraso mental. Em um livro que fala sobre crescer, é muito interessante que o “vilão” seja alguém que não deseja isso de maneira alguma. Enquanto as crianças continuarem em Neverland elas não crescem, mas a cabana cobra seu preço de maneiras muito piores.
O livro toca em outros assuntos de maneira bem superficial, como sexualidade e preconceito, seja racial ou sexual.
Para os fãs de terror, Neverland é um prato cheio, além dessa atmosfera que permeia o livro todo, a história vai se tornando progressivamente mais medonha, como se o leitor estivesse crescendo junto com Beau e dessa maneira, pronto para enfrentar perigos cada vez maiores.
Neverland tem também algumas ilustrações tão assustadoras quanto a história, deixando o livro ainda mais aterrorizante.
Como eu nunca tinha escutado falar do autor, eu fui dar uma pesquisada, embora ele tenha uma obra relativamente extensa (mais de 30 livros), aparentemente, ele nunca foi publicado no Brasil, o que é uma pena, já que limita a leitura apenas a quem lê em inglês.

 

Capa mole: 308 paginas
Editora: Alkemara Press; 3 edition (September 3, 2015)
Idiona: Inglês
ISBN-10: 0986350842
ISBN-13: 978-0986350849
Fonte: https://www.amazon.com/Neverland-Douglas-Clegg/dp/0986350842

Crédito da imagem: https://www.overdrive.com/creators/487020/douglas-clegg

 

Um comentário em “Neverland, Douglas Clegg”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s