livros

Nós, Ievgueni Zamiatin

“Não existe revolução final. As revoluções são infinitas.”

Sinopse: Nós é um romance distópico escrito entre 1920 e 1921 pelo escritor russo Yevgeny Zamyatin. A história narra as impressões de um cientista sobre o mundo em que vive, uma sociedade aparentemente perfeita mas opressora, e seus conflitos ao perceber as imperfeições dele, ao travar contato com um grupo opositor que luta contra o “Benfeitor”, regente supremo da nação. O livro só adentrou legalmente a pátria-mãe do autor em 1988, com as políticas de abertura do regime soviético, devido à censura imperante no país.

Fonte: https://www.amazon.com.br/Nos-Ievgueni-Zamiatin/dp/8576573113

Escrito no inicio da década de 20, Nós é considerado por muitos, a primeira distópia e teria inspirado 1984, de George Orwell e Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley. O livro se passa, naturalmente, no futuro, aonde a individualidade e a privacidade não existem mais. Todas as pessoas usam uniformes e ao invés de terem nomes, são indentificadas por números e letras. As construções são feitas de vidro e por isso, todo mundo pode observar todo mundo, o governo decide até quando as pessoas mantém relações sexuais.

O livro é escrito em forma de anotações, feitas por um cientista preocupado em relatar como era a vida na sua época. No começo, ele parece conformado com as regras, mas então, ele desenvolve algo que o difere de todas as outras pessoas: a imaginação.

A trama começa já nos jogando na história, o que pode ser um pouco confuso, já que não vivemos no mundo aonde a distópia se passa, mas depois, o narrador mesmo diz que vai explicar para quem está lendo como é o seu mundo. Eu achei essa uma forma bem interessante de contextualizar a história e passei a entender o livro melhor depois disso. Todo livro reflete apenas uma fatia da história de vida de seus personagens, mas quando esse livro se passa em um mundo completamente diferente do nosso, é sempre necessário saber alguns conceitos básicos e é otimo quando o autor consegue colocar isso na história de maneira natural, sem parecer uma enciclopedia sobre o assunto.

38438039_2015275078506377_591503329796816896_n

Eu também achei muito bonito e trágico ao mesmo tempo, a ideia de que a imaginação é um grande perigo para essa sociedade e naturalmente, ela é, uma vez que todas as pessoas são iguais e não conseguem vizualizar além disso, uma pessoa que consegue é um individuo perigoso. Relacionar essa ideia com o fato de que o trabalho do escritor consiste basicamente em imaginar, deixa tudo mais interessante. É mais interessante ainda pensar que o livro foi livremente inspirado na experiencia do autor com o regime socialista da Russia, e que talvez ele sentisse que não pudesse usar da sua imaginação no país aonde vivia. Nós foi inclusive proibido na União Sovietica e só fui publicado em 1924, nos Estados Unidos, o autor foi constatemente perseguido e escreveu uma carta a Stalin, pedindo para sair do país. O livro só chegou a Russia em 1988, depois das politicas de abertura do regime sovietico.

Nós também é um livro muito poético, a escrita é muito bonita, e é bem diferente de todas as distópias que eu já li, uma vez que a maioria delas não é escrita em primeira pessoa. O que acontece com Nós é que o leitor se sente quase na pele do protagonista e portanto, vivendo dentro daquela sociedade. Uma das coisas mais interessantes do texto é o uso de letras para se referir as pessoas e como o autor usou isso para descrever os personagens fisicamente, por exemplo, o narrador se envolve com duas mulheres durante o livro, O, que é descrita como pequena e curvilínea e I, que é descrita como alta e magra, exatamente como as letras que as batizam.

38186308_2011742142193004_787889128858451968_n

A edição que eu li foi publicada pela Editora Aleph e é especialmente bonita, a folha de corte é preta, o que dá um destaque todo diferente com a capa, que usa tons de laranja e dentro do livro, temos mais páginas impressas em um laranja bem forte, uma delas até com a frase que é mais caracteristica do livro. A editora realmente fez um bom trabalho. Para além, dos aspectos fisicos, o livro tem alguns extras, como uma crítica de George Orwell sobre o livro e a carta que Ievgueni Zamiatin escreveu para Stalin, pedindo para sair da Russia.

Nós é um livro importante e que deu impulso para todo um gênero, e mesmo assim, consegue ser diferente de tudo que foi feito depois.

 

Capa dura: 344 páginas

Editora: Aleph; Edição: 1ª (17 de março de 2017)

Idioma: Português

ISBN-10: 8576573113

ISBN-13: 978-8576573111

Dimensões do produto: 21,6 x 14 x 2,4 cm

Peso de envio: 540 g

Fonte: https://www.amazon.com.br/Nos-Ievgueni-Zamiatin/dp/8576573113

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s