livros

Os Três Mosqueteiros, Alexandre Dumas

“Depois, dando um último olhar ao belo moço, que tinha 25 anos apenas e que ele deixava ali caído, sem sentidos, talvez morto, soltou um suspiro pelo destino que leva os homens a destruírem-se uns aos outros, por interesses de pessoas que não lhes são nada e que, na maioria das vezes, nem sabem se eles existem”

Sinopse: O jovem d’Artagnan deixa sua terra natal no interior da França e chega a Paris para se tornar membro dos mosqueteiros, a tropa especial do Rei Luís XIII. Após alguns acontecimentos, vê-se em meio a um embate com três mosqueteiros, os amigos Athos, Porthos e Aramis. Os duelos, porém, estão proibidos na França. Assim, inesperadamente, eles são flagrados pelos guardas do Cardeal Richelieu, que os atacam impiedosamente. Nesse momento, d’Artagnan se une aos três destemidos mosqueteiros, e, juntos, saem vitoriosos do combate. Os quatro se tornam companheiros inseparáveis e adotam o lema “Um por todos, todos por um!”. Eles combatem em nome do rei e pela defesa da honra da rainha, vivendo uma sequência de momentos de tensão, ameaças e aventuras eletrizantes. As suas vidas estão sempre por um fio. Entre lutas de espadas memoráveis e perseguições alucinantes, os quatro bravos guerreiros correm contra o tempo para deter os avanços de Richelieu e se defender das armações da bela Milady e do Duque de Buckingham. Recheado de intrigas, romance, bom humor, suspense e batalhas espetaculares, Os Três Mosqueteiros é um clássico da literatura mundial que continua encantando gerações de leitores.

Fonte: https://www.amazon.com/tr%C3%AAs-mosqueteiros-Portuguese-Alexandre-Dumas-ebook/dp/B079H56MHP

 

Publicado em 1844, Os Três Mosqueteiros é um clássico que já foi copiado a exaustão. Na história original, acompanhamos d’Artagnan, que vai a cidade para se tornar um mosqueteiro, e chegando lá, conhece Athos, Porthos e Aramis e passa a ajuda-los. É daí que vem a confusão em relação ao título, uma vez que no livro, nos são apresentados quatro mosqueteiros.

O livro também nós apresenta outros personagens como Luis XII, o rei da França, Ana, a rainha da Áustria, o Cardeal Richileu e a bela Milady.

Justamente por ter como personagens personalidades históricas, Os Três Mosqueteiros pode ser considerado um romance histórico, embora ele não seja completamente realista.

Os Três Mosqueteiros é muito parecido com um romance de cavalaria, aonde os mosqueteiros enfrentam diversos inimigos diferentes, em textos que parecem quase pequenas parábolas, a diferença desse livro para os livros de cavalaria é que aqui se tem uma missão final.

O livro soou para mim, muito moderno, ele retrata a igreja de uma maneira que não era comum, para a época. Além do mais, a personagem de Milady é extremamente inteligente e calculista, sendo possivelmente a pessoa responsável por tramar boa parte do que acontece na história, ela também é extremamente poderosa. Em um livro que tem como protagonistas quatro homens, é interessante ver uma personagem mulher que parece mais esperta que todos eles.

Claro que Milady usa de sua beleza e de seus atributos físicos o tempo todo, mas isso é mais que natural, uma vez que em 1844, esse era literalmente o único recurso que as mulheres podiam usar. Por outro lado, a personagem também é retratada como se ela fosse responsável por todo mal no mundo, uma imagem que se faz da mulher desde a época da bíblia e que hoje em dia, já é bem clichê.

O livro também fala de temas que agradam até hoje, como honra e amizade. Não existem dúvidas de que além de tudo, os quatro mosqueteiros são muito amigos e é interessante ver o que eles são capazes de fazer um pelo outro. Embora o livro fale de uma época que está muito longe da gente, amizade e amor são temas universais e por isso, o livro ainda é relevante.

Mas claro que é bom lembrar que Os Três Mosqueteiros é um clássico, escrito há muito tempo e que a linguagem pode ser um pouco diferente do que o leitor atual está acostumado, e o livro é grande, e por isso, ele exige um pouco mais de dedicação, apesar disso, o livro tem muito humor e é divertido.

Eu li a edição da Editora Évora, que tem na capa o cartaz do filme de 2011. Além disso, a edição conta com um posfácio de Alexandre Callari, que fala sobre a obra, sobre a sua importância e sobre todas as adaptações cinematográficas e para a tv que foram feitas. Callari também nos relaciona várias continuações do livro, tanto as escritas pelo próprio Dumas, quanto por outros autores.

Eu gostei muito de ler os posfácio, já que pude conhecer muitas obras novas, que já estão na minha lista tanto de livros, quanto de filmes.

Embora seja um clássico, Os Três Mosqueteiros se mantém relevante nos dias de hoje e é capaz de prender o leitor moderno.

 

536 páginas

Formato:16x23cm.

ISBN:978-85-63993-25-0.

Editora: Évora

Fonte: https://www.editoraevora.com.br/os-tres-mosqueteiros-alexandre-dumas

Foto: Fernanda Cavalcanti

 

 

3 comentários em “Os Três Mosqueteiros, Alexandre Dumas”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s