livros

As Garotas, Emma Cline

“Todo aquele tempo que eu gastara me preparando, os artigos que me ensinavam que a vida era, só uma sala de espera até que alguém reparasse em você- os rapazes haviam gastado esse tempo tornando-se eles mesmos”

Sinopse: A vulnerabilidade e a força femininas em impressionante romance de estreia.

No final da década de 1960, a jovem Evie Boyd vive sozinha com a mãe no norte da Califórnia. Aos quatorze anos, imersa em inúmeras questões de autoaceitação, ela se sente muito desconfortável com o próprio corpo e tem apenas uma pessoa com quem contar: Connie, sua amiga de infância. No início do verão, uma briga faz com que as duas se afastem, e Evie encontra um novo grupo: garotas que demonstram extrema liberdade, usam roupas desleixadas e emanam uma atmosfera de abandono que a deixa fascinada. A jovem logo percebe que já está sob o poder e o domínio de Suzanne, a mais velha do grupo, e acaba entrando em um culto sombrio, liderado pelo carismático Russell Hadrick.

O rancho do grupo é um lugar estranho e decadente, mas, aos olhos da adolescente, parece exótico, com uma energia singular. Evie descobre que as garotas cozinham, limpam e prestam até mesmo serviços sexuais para Russell, que proclama um desejo de libertar as pessoas do sistema. Evie quer apenas ser aceita pelos outros integrantes, principalmente por Suzanne. É sua chance de se sentir amada e pertencente a algo. Conforme sua obsessão por Suzanne se intensifica, ela não percebe que se aproxima de uma violência inacreditável. Contada por Evie já adulta e ainda abalada, a narrativa é um impressionante retrato de garotas que se tornam mulheres.

Denso e de ritmo surpreendente, o romance de estreia de Emma Cline é escrito com precisão e perspicácia ao construir os perfis psicológicos dos personagens. As garotas aborda mais que uma noite de violência – é sobretudo um relato do mal que causamos a nós mesmos e aos outros na ânsia por pertencimento e aceitação.

Fonte: https://www.amazon.com.br/As-Garotas-Emma-Cline/dp/8551001353?gclid=Cj0KCQjwidPcBRCGARIsALM–ePqvKQhYPAycF1RO4IQFkQFWqu6MwkzOYCZP8Xh9n7VwbEDU1-_mB8aAk2VEALw_wcB&hvadid=291273351262&hvdev=c&hvlocphy=1001773&hvnetw=g&hvpos=1t1&hvqmt=b&hvrand=2502801458739859292&hvtargid=kwd-364499067757&keywords=as+garotas&qid=1536535304&sr=8-1&tag=hydrbrgk-20&ref=sr_1_1

 

O ano é 1969, Evie Boyd tem quatorze anos, é tímida e insegura, seus pais acabaram de se separar, porque seu pai estava tendo um caso com a secretaria e sua mãe, numa tentativa desesperada de dar a volta por cima, sai com diversos homens, que ela eventualmente traz para casa. A única amiga de Evie é Connie, uma garota gordinha, que mora com o pai e o irmão mais velho.

No começo do ano, Evie e Connie acabam brigando, fazendo com que Evie se sinta completamente solitária no mundo. Ela acaba conhecendo um grupo de garotas lideradas por Suzanne. Suzanne é mais velha, bonita e assim, como as outras garotas, exala uma aura de liberdade, que Evie anseia desesperadamente.

Suzanne e as outras garotas moram em um rancho, aonde todos os moradores ajudam nas tarefas domesticas e vivem como uma família. O líder do local é o carismático Russell Hadrick, que defende a idéia de amor livre e quer ser um musico famoso.

O rancho parece o lugar ideal para Evie, que deseja pertencer a algum lugar e se sentir amada, não importa a que custo.

As Garotas é o primeiro romance de Emma Cline, e ela usa como plano de fundo a história da família Manson, embora isso seja camuflado. Para quem não conhece muito sobre os crimes de Charles Manson, talvez isso passe despercebido, mas para quem já leu sobre o assunto, as referencias são transparentes, especialmente se você leu Helter Skelter, de Vincent Buglosi. A maneira como as coisas funcionam no rancho, a personalidade de Russell (que seria Charles Manson), os detalhes referentes ao crime em si e principalmente a maneira como Manson (e Russell) angariava seguidores são extremamente parecidos. Por isso, é relativamente fácil de prever o que vai acontecer em As Garotas, o final não é exatamente uma surpresa e isso não incomoda, porque a autora não está focada em falar sobre um crime, o foco do livro é o amadurecimento de Evie e automaticamente, das garotas de uma maneira geral.

Cline constrói uma personagem com quem é muito fácil de se identificar, Evie está completamente perdida, se sente solitária e insegura em relação ao seu corpo e acha que ela só vai ter valor se um garoto prestar atenção nela, que é exatamente como todas as garotas de quatorze anos se sentem. Muito mais do que falar da adolescência, de uma maneira mais ampla, Cline fala especificamente de garotas adolescentes.

A pressão para se encaixar, a necessidade de ser querida, a dúvida constante sobre estar ou não agradando são assuntos constantes no livro. A autora fala muito rapidamente sobre o amadurecimento dos meninos, mas deixa bem claro que embora a adolescência seja um sentimento universal e uma época cheia de dúvidas para todos, o impacto é muito maior nas meninas, que são constantemente monitoradas e cobradas.

A autora também tenta nos responder uma pergunta que o mundo inteiro fez nos anos 60, após os assassinatos da família Manson, e continua fazendo até hoje: como que jovens de 20 e poucos anos se envolveram em um crime tão sombrio? Obvio que nunca teremos respostas concretas sobre isso, mas a idéia de que um homem carismático e bom de papo pode facilmente convencer adolescentes, bravos, entediados e perdidos, que desejam desesperadamente pertencer fica muita clara em As Garotas e é o que Buglosi defende no livro definitivo sobre o caso Manson, Helter Skelter.

As Garotas é um livro que é repleto de personagens femininas, além de Evie, que é a protagonista e que narra o livro em primeira pessoa, temos sua mãe, Connie, Suzanne, as outras garotas do rancho, a garota para quem Evie está contando sua história depois de adulta (o livro é narrado por Evie já adulta, relembrando sua adolescência) e até a ex-amante e atual esposa de pai de Evie e as mulheres mantém relações sinceras entre elas e se compreendem. Os homens que aparecem na história, não tem seus sentimentos expostos, e estão sempre em segundo plano, até mesmo Russell, que é o alvo da atenção de todas as garotas, aparece poucas vezes e é mais um subterfúgio para que Cline fale do assunto que a interessa.

O livro também fala de maneira natural sobre bissexualidade, já que Evie embora se sinta atraída por garotos e mencione relacionamentos com homens ao longo de sua vida, sente uma paixão fulminante por Suzanne. Em momento algum isso é uma crise para a protagonista, mesmo nos anos 60, o que é uma maneira extremamente interessante de tratar o tema.

As Garotas usa como plano de fundo um crime, para descrever sentimentos comuns da adolescência, o resultado disso é um livro sensível, que embora fale de um dos crimes mais brutais do século XX não é violento e é extremamente verdadeiro.

 

 

Capa dura: 336 páginas

Editora: Intrínseca; Edição: 1ª (30 de maio de 2017)

Idioma: Português

ISBN-10: 8551001353

ISBN-13: 978-8551001356

Dimensões do produto: 21,4 x 14,2 x 2,2 cm

Peso de envio: 458 g

Fonte: https://www.amazon.com.br/As-Garotas-Emma-Cline/dp/8551001353?gclid=Cj0KCQjwidPcBRCGARIsALM–ePqvKQhYPAycF1RO4IQFkQFWqu6MwkzOYCZP8Xh9n7VwbEDU1-_mB8aAk2VEALw_wcB&hvadid=291273351262&hvdev=c&hvlocphy=1001773&hvnetw=g&hvpos=1t1&hvqmt=b&hvrand=2502801458739859292&hvtargid=kwd-364499067757&keywords=as+garotas&qid=1536535304&sr=8-1&tag=hydrbrgk-20&ref=sr_1_1

Crédito da imagem: https://www.skoob.com.br/the-girls-578289ed579520.html

 

2 comentários em “As Garotas, Emma Cline”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s