livros

Christopher And His Kind, Christopher Isherwood

“In the old days I was obsessed with the idea of a high tension!, extreme danger! relantionship, wich gave off ten-foot sparks and electrocuted everyone in the neighborhood. Now I see that there´s something to be said for decency and a little mutual consideration and pleasantness.”

 
“Antigamente eu estava obcecado com a ideia de uma relação com alta tensão!, perigo extremo!, que soltava faíscas e eletrocutava todo mundo na vizinhança. Agora eu vejo que tenho algo a ser dito sobre decência e um pouco de consideração mutua e prazer.”– Traduzido livremente por Fernanda Cavalcanti

 
Christopher And His Kind é um relato autobiográfico da juventude de Christopher Isherwood, famoso por escrever o livro que inspirou o musical Cabaret. O livro começa em 1929 quando Isherwood sai da Inglaterra e vai viver em Berlim e prossegue até 1939, quando o escritor sai da Alemanha em função da ascensão de Hitler.
Christopher Isherwood era um jovem inglês de 25 anos quando resolveu ir morar em Berlim, em 1929. Na Inglaterra ele se sentia preso a um papel que ele não queria mais interpretar, massacrado pela culpa por ser homossexual, Isherwood sentia que só poderia ser livre em outro lugar aonde ninguém o conhecia.
Seu livro Christopher And His Kind surge em 1976, quando o escritor percebe que muito do seu trabalho foi pautado pelo medo de falar sobre a homossexualidade, em Christopher And His Kind ele faz exatamente o contrario.
O livro relata com detalhes os seus relacionamentos com outros homens em Berlin, que na época, era uma cidade relativamente liberal em relação a isso. Christopher também é bem sincero em relação aos seus questionamentos sobre sexualidade, ele conta sobre um momento em que manteve relação com uma mulher e até achou agradável, mas depois se questionou se ele faria aquilo de novo, e conclui que não, desde que ele tivesse garotos como opção.
Ele fala também da culpa que carregava pela sua sexualidade e que ele só conseguiu se livrar disso quando passou a se relacionar com garotos da classe trabalhadora da Alemanha e que jamais conseguiria faze-lo com alguém da sua própria nacionalidade e classe.
Quando dito assim, Christopher And His Kind parece um livro que fala sobre amor, romance e sexo, mas não é o caso. Talvez essa nem tenha sido a intenção do autor, mas o livro também fala sobre o seu processo criativo e mais tarde, sobre sua carreira.
Isherwood analisa a sua maneira de criar e de escrever e fala sobre as pessoas reais que inspiraram seus personagens, ficamos conhecendo por exemplo, Jean Ross, uma amiga de Isherwood que inspirou a criação de Sally Bowles, a personagem mais famosa de Cabaret. Também é impossível não relacionar as experiências de Isherwood em Berlin com as do personagem principal de Cabaret: também um inglês, que começa a trabalhar como professor de inglês em Berlin e que também luta contra a sua sexualidade.
Cabaret se passa exatamente no mesmo período em que Isherwood viveu na Alemanha, portanto, para os fãs do filme, Christopher And His Kind é um prato cheio, que pode explicar da onde vieram personagens e situações tão interessantes. Conforme Isherwood descreve algo que aconteceu com ele, muitas vezes é difícil não reconhecer alguma cena de Cabaret.
A maneira com que Isherwood pensa a sua ficção é extremamente curiosa, ele mesmo admite que boa parte do que criou é fruto do que ele observou ou viveu.
Mas Christopher And His Kind tem dois grandes trunfos. O primeiro deles é a maneira com que Isherwood fala sobre a sua sexualidade e o meio gay da época, somos inseridos em bares gays, que pareceriam absurdos e surreais se não soubéssemos que estamos lendo uma autobiografia. Para os dias de hoje, Christopher And His Kind pode soar até como um livro pudico, mas no período em que ele foi publicado, a trama era sim, inovadora. Quando se pensa no período em que o livro se passa, então, nem se fala. O que Isherwood descreve em Christopher And His Kind é a cena gay da Alemanha entre guerras.
O segundo é a maneira com que Isherwood, talvez de maneira involuntária, fala sobre o nazismo. Quando Isherwood chega a Alemanha, o nazismo ainda não tem grande força, mas o escritor literalmente acompanha o seu crescimento e conforme os anos vão passando, acompanhamos Isherwood olhando para tudo aquilo.
Isherwood deixa claro que ele foi contra os ideais nazistas desde o principio, como fica mais do que obvio em Cabaret, mas o jovem Isherwood também não acredita na força do partido e acha que essa é uma onda que logo vai morrer, mesmo depois da eleição de Hitler a Chanceler e depois dele começar a mostrar a que veio, Isherwood relata que ainda se sentia otimista, embora alguns dos seus amigos já estivessem apavorados.
Christopher And His Kind cobre boa parte do período entre guerras e mesmo não tendo essa intenção, mostra o clima da Alemanha um pouco antes da ascensão de Hitler. Isherwood entra mais no assunto quando ele é obrigado a deixar Berlin em função da guerra prestes a explodir e não consegue tirar Heinz, seu namorado alemão do país. Acompanhamos anos e anos de tentativas frustradas de Isherwood para levar Heinz para a Inglaterra e até pedidos dele para que a sua mãe escreva uma carta para a imigração alegando que contratou Heinz como empregado.
Isherwood poderia estar calmo com o começo do guerra, porque embora fosse homossexual e pertencesse a uma minoria perseguida por Hitler não era alemão, diferente de Heinz que estava apavorado e desesperado para sair da Alemanha o mais rápido possível.
A linguagem de Christopher And His Kind também é muito interessante, o livro é uma autobiografia que é escrita em primeira e em terceira pessoa, em vários momentos, Isherwood se refere a si mesmo como “Christopher”, como se quisesse deixar claro que o Christopher Isherwood de 25 anos não é mesmo que agora, escreve o livro.
No entanto, a leitura, embora muito prazerosa, é um pouco difícil, especialmente porque o livro não foi publicado aqui no Brasil e a forma que Isherwood escreve parece quase formal, quando lida em inglês então, pode ser ainda mais dificultosa.
Christopher And His Kind é a autobiografia de um autor que, infelizmente, não é muito famoso por aqui, embora ela queira falar sobre a vida de Isherwood ela acerta outros pontos que são mais importantes ainda, como a homossexualidade de seu autor e a sua aceitação, e ascensão do nazismo.

 

Titulo no Brasil: Não publicado
Título original: Christopher And His Kind
Autor: Christopher Isherwood
Gênero: Biografia, autobiografia
Ano de lançamento: 1976
Editora: Penguin Books
Número de Paginas: 386
Foto: Fernanda Cavalcanti

2 comentários em “Christopher And His Kind, Christopher Isherwood”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s