livros

Quinze Dias, Vitor Martins

“Porque ‘gordo’ é o tipo de palavra que as pessoas tentam esconder a qualquer custo. Todo mundo diz ‘fofinho’, ou ‘forte’, ou ‘grande’, ou ‘cheinho’, mas nunca GORDO. Gordo é uma palavra sem volta. Quando você afirma uma coisa, por mais que ela esteja clara para todo mundo, ela se torna real”

Felipe é um adolescente acima do peso, cheio de inseguranças, com poucos amigos e que sofre bullying na escola. Tudo que ele deseja é que as férias cheguem logo para que ele se veja livre de todos esses problemas e possa passar o dia em casa sem fazer nada.

No entanto, antes das férias começarem, a mãe de Felipe o informa que ela aceitou hospedar Caio, um garoto que é vizinho deles, enquanto os pais dele viajam. Felipe então, fica desesperado porque tem uma paixonite por Caio que ele nunca foi capaz de revelar e que acha que agora, vai ser mais difícil ainda.

A primeira coisa que se deve saber sobre Quinze Dias é que ele é um livro voltado para o público adolescente, ele tem um estilo muito parecido com o de livros como Simon Vs. A Agenda Homo Sapiens, que também apresenta um personagem adolescente e gay, que precisa lidar com seus sentimentos. Dito isso é bom ressaltar as qualidades do livro.

Quinze Dias é um livro nacional, portanto retrata a nossa realidade e por sua vez, como é a adolescência aqui no Brasil. É possível até dizer que ele tem fortes influencias de livros e filmes americanos, mas mesmo assim, foi escrito por um autor brasileiro e se passa no Brasil, o que é um ponto positivo. Ele é um livro para adolescentes que fala sobre personagens gays, o que também é importante.

Felipe não é o único personagem gay do livro, também existem personagens lésbicas e bissexuais, o que faz de Quinze Dias um livro com pontos de vistas variados e que nem sempre vemos na literatura, mais do que isso, o livro apresenta um personagem gordo, o que é raríssimo de se ver em livros do gênero. É difícil encontrar protagonistas gordos em obras que falam de personagens heterossexuais, que dirá em obras que falam de personagens gays, que tem o corpo fetichizado o tempo todo.

Por último, o livro é voltado para o público adolescente e retrata um romance gay, o que também é importante. É muito legal que agora exista uma literatura juvenil voltada para o público LGBTQ+ e que ela não seja focada só em tragédias, como acontece muitas vezes com obras com personagens LGBTQ+ consideradas “sérias”. Quinze Dias pode até ser considerado um pouco irrealista e fantasioso, mas não é assim com a maioria dos romances?

Outro ponto importante é que Quinze Dias não quer falar sobre descoberta sexual, Felipe está certo de que é gay e não tem nenhum problema com isso, ele pode não ser completamente assumido, mas a sua homossexualidade não parece incomoda-lo, por isso o livro sai de questões que geralmente são associadas ao público gay, como descoberta, aceitação e reconhecimento.

Quinze Dias tem dois focos: a possível relação de Felipe e Caio e as inseguranças de Felipe. Nesse aspecto, embora, Quinze Dias acompanhe um personagem gay, poderia acompanhar qualquer adolescente, que se identifique com qualquer sexualidade.

A maneira com que o livro trata as questões de Felipe em relação ao seu corpo também é muito interessante e faz sentido para qualquer adolescente. Todo mundo tem problemas com o próprio corpo e essa é uma sensação que é ainda maior quando você é adolescente, por outro lado, é muito importante que se escrevam histórias sobre pessoas gordas, especialmente se essas histórias não são para tirar sarro ou fazer piada desse personagem.

A relação entre Felipe e Caio também é algo que pode fazer sentido dentro do universo de todo adolescente e mesmo das pessoas adultas que já tiveram primeiros amores. Embora seja um romance um tanto quanto obvio, isso não é exatamente um problema no livro, o leitor sabe o que vai acontecer e como o casal é bem construído e bonitinho, a tendência é torcer por eles. O fato de Felipe ser um personagem muito simpático, também ajuda muito.

Quinze Dias deve ser julgado pelo que ele se propõe a fazer. Uma comédia romântica, com um personagem que foge do estereótipo, que diverte e que provavelmente vai agradar boa parte de seu público alvo. A história é simples, embora bem construída, o romance é um tanto obvio e a escrita não é muito trabalhada, mas Quinze Dias cumpre seu papel.

O livro é divertido, com um casal fofo e de leitura bem rápida. A linguagem é claramente influenciada pelos livros da Meg Cabot, o que não é um problema, já que Cabot é muito boa no que faz e faz várias referências a cultura pop atual, que vão deixar o livro ainda mais claro para os adolescentes.

Quinze Dias é um livro para adolescentes, que apresenta personagens homossexuais e fora dos padrões, o que é ótimo. Embora ingênuo, o livro é divertido e certamente vai fazer qualquer leitor torcer por seus personagens.

Título no Brasil: Quinze Dias

Título original: Quinze Dias

Autor: Vitor Martins

Gênero: Comédia, romance, Comédia romântica

Ano de lançamento: 2017

Editora: Globo Alt

Número de Páginas: 208

Foto: Fernanda Cavalcanti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s