livros

Um Estranho Numa Terra Estranha, Robert A. Heinlein

“Eu descobri por que a gente ri. Rimos porquê dói… porque é a única coisa que faz a dor passar”

Valentine Michael Smith é filho de pais humanos, que o conceberam durante uma missão em Marte, e que nasceu no planeta vermelho. Depois de adulto, ele é trazido a terra e precisa aprender os costumes e a moral humana.

Quando Valentine conhece Jill, e a transforma em “seu irmão de água”, as coisas começam a ficar mais claras e ele começa a ter suas próprias ideias.

Um Estranho Numa Terra Estranha é um livro bem diferente, ele poderia facilmente ser encaixado no gênero da ficção cientifica, mas não é bem o caso, porque o livro se desenvolve de uma maneira que até afasta ele do gênero.

O começo de Um Estranho Numa Terra Estranha é típico de um livro de ficção cientifica, com uma tripulação indo para Marte para explorar. É dessa tripulação que nasce Valentine, que vai acabar sendo criado em Marte, embora seja humano.

Por isso já é possível perceber o quão o livro é diferente dos outros, embora ele use elementos da ficção cientifica, ele também quer falar sobre um humano que foi criado por marcianos e que portanto, vive pelos seus costumes. Quando Valentine chega na terra, ele precisa conhecer e se adaptar aos humanos, mesmo sendo ele próprio, humano. O livro a sua maneira falar sobre imigração e sobre como é difícil se acostumar com os costumes de seu novo país.

Depois que chega a terra, Valentine é colocado em um hospital para ser observado, ao mesmo tempo que o governo o mantém sob controle, basicamente, Valentine é como um prisioneiro, que por acaso, é muito valioso. Até o dia em que Jill, uma das enfermeiras onde Valentine está preso, resolve ajudar a tirar o prisioneiro de lá. É a partir daí que Valentine é praticamente jogado no mundo e precisa aprender a lidar com tudo aquilo.

O que Valentine faz depois que fica livre, então, é um caso à parte, o leitor acompanha enquanto ele experimenta as mais diversas aventuras, desde coisas muito simples e que fazem parte da experiência humana, como beijar uma garota ou procurar uma religião que se aproxime dos seus pensamentos, até virar atração de um show de variedades.

Um Estranho Numa Terra Estranha entra nos mais diversos temas e em muitos casos, os critica. O livro fala sobre religião e como Valentine observa as diversas crenças com as quais entra em contato, sobre amor livro e sobre consumismo. Um Estranho Numa Terra Estranha é um livro muito moderno, uma vez que foi publicado em 1962, quando ainda não se falava do movimento Hippie, mas é curioso notar que muitas das coisas que o livro prega são muito semelhantes com o que os hippies acreditavam.

Um Estranho Numa Terra Estranha é um livro que só poderia ser produzido na década de 60, mesmo que ele seja, quase anterior a ela e a todos os movimentos que sacudiram a época.

Outro ponto extremamente interessante e que soa quase como uma previsão é a maneira com que Heinlein fala das seitas. Em determinado momento da trama, Valentine se transforma em um profeta e líder de sua própria seita, os elementos que são jogados na história então, poderiam facilmente fazer parte de um livro que falasse sobre a Família Manson ou qualquer outra seita do gênero. A seita de Valentine tem tudo o que vimos depois em outras seitas: adoração desmedida, pessoas vivendo juntas e relações sexuais e românticas abertas entre os membros do grupo.

Curiosamente, os crimes da Família Manson, que catapultaram os seus membros para a fama e que jogaram uma luz pela primeira vez no assunto, só aconteceram em 69.

O livro começa de maneira muito interessante, e provavelmente vai agradar os fãs de ficção cientifica, e se desvia no meio do caminho, o que é ainda mais interessante. A ideia de acompanhar o planeta terra pelos olhos de uma pessoa que não sabe nada sobre os nossos costumes é ótima e é uma boa forma de apresentar o personagem. Mas ao longo do tempo, o livro vai ficando um pouco cansativo.

Outro ponto ótimo do livro é que a opinião do leitor sobre Valentine se altera durante a leitura, afinal, no começo ele é um homem que não sabe nada de nada e se porta quase como um garoto, é natural que se sinta simpatia por esse homem. Conforme ele vai ficando cada vez mais esperto e também cada vez mais humano, fica mais difícil simpatizar com ele ou defender suas atitudes, como se Heinlein quisesse dizer que a humanidade é por si só corrompida.

A edição da Aleph vem, como sempre, muito caprichada. Além de uma capa linda e uma boa diagramação, Um Estranho Numa Terra Estranha vem com um prefacio escrito por Neil Gaiman, que nos fala da importância do livro na época de sua publicação.

Certamente que Um Estranho Numa Terra Estranha é um livro importantíssimo e que funciona quase como uma previsão de tempo, além disso,  sua trama é criativa e sua leitura prazerosa.

Título no Brasil: Um Estranho Numa Terra Estranha

Título original: Stranger In A Strange Land

Autor: Robert A. Heinlein

Gênero: Ficção Cientifica

Ano de lançamento: 1962

Editora: Editora Aleph

Número de Páginas: 576

Foto: Fernanda Cavalcanti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s