livros

Por Lugares Incríveis, Jennifer Niven

“Lembre- se do que Michelangelo disse sobre a escultura estar na pedra…estava lá desde o início, a sua tarefa era revela-la. Suas palavras estão aí dentro também”. 

Theodore Finch é um garoto solitário, com poucos amigos e que é considerado esquisito pelos colegas de turma. Ele também pensa, com bastante frequência, em suicido e se pergunta se ele levaria essa ideia até o fim.

Um dia, quando ele está no alto da torre do colégio, comtemplando mais uma vez a ideia de se matar, ele encontra Violet Markey.

Ao contrário de Finch, Violet parece ter a vida perfeita: é bonita, popular, tem muitos amigos e um namorado, mas desde que sua irmã mais velha morreu em um acidente de carro, Violet não vê mais sentido na vida e também vem pensando em desistir de tudo.

Finch faz com que Violet desista da ideia de se jogar da torre, o que automaticamente faz com que ele também, não se jogue. Os dois então, começam uma estranha amizade e resolvem fazer um trabalho de escola juntos, que propõe que eles conheçam lugares diferentes no estado em que vivem.

Muito mais do que conhecer lugares, os dois acabam se conhecendo e iniciam um relacionamento que vai influenciar a vida dos dois.

À primeira vista, Por Lugares Incríveis parece como young adult qualquer, que vai dedicar seu tempo a registrar Finch e Violet e sua relação. Em muitos aspectos, ele de fato é. O leitor acompanha como Finch e Violet se conhecem, viram amigos e se apaixonam.

Mas o livro apresenta protagonistas um pouco diferentes do que estamos acostumados em livros do gênero, Finch é um garoto claramente depressivo, no começo, o leitor pode até achar que ele sofre daquele tipo de depressão que assola boa parte dos adolescentes e que seus pensamentos sobre suicídio não são sérios, mas essa é uma ideia que vai se dissolvendo conforme lemos o livro.

Já Violet está depressiva em função da morte da sua irmã, que ela acredita ser culpa sua. Ela parece visivelmente mais perturbada do que Finch, mas conforme o tempo vai passando, e os dois vão conhecendo novos lugares e se apaixonando, ela vai ficando mais alegre e volta a ser a Violet que era antes.

O que Por Lugares Incríveis quer é falar sobre a depressão e outros distúrbios mentais muito mais do que quer falar sobre a relação de seus dois protagonistas e nesse sentido, Finch e Violet funcionam como opostos.

Finch é um rapaz depressivo, com um histórico de violência na família, que muda o seu comportamento depois que conhece e começa a namorar Violet, no entanto, ele ainda tem episódios. Já Violet é uma menina que está de luto em função da morte da irmã e que não vê mais sentido em viver, mas que começa a ver a vida com olhos diferentes depois que conhece Finch. Durante boa parte do livro é um personagem que resgata o outro independentemente de quais sejam os seus problemas pessoais.

Mas Por Lugares Incríveis tem algumas questões problemáticas, a primeira é que de uma certa maneira, glamouriza o suicídio e a depressão, uma vez que seus personagens se conhecem e se apaixonam em função de uma dupla tentativa de suicídio e que esse é o assunto que permeia o livro todo. Outro é que o relacionamento entre Finch e Violet, embora seja retratado como ideal, está bem longe disso.

Finch é um garoto que tem fases péssimas, em que ele some ou não sai do quarto e embora o romance dos dois comece em uma fase ótima da vida do garoto, ele persiste por momentos de solidão e de depressão, onde ele sobrecarrega Violet com um monte de negatividade e com questões que não ajudam em nada o processo de luto da garota. Ele também desaparece, deixando a namorada extremamente preocupada.

É compreensível que a autora tenha querido mostrar exatamente isso, como uma pessoa que não está bem consigo mesma, jamais vai estar bem com outra pessoa, mas o tom que ela dá ao romance dos dois é aquele clássico de livros adolescentes, onde o casal acredita que vai ficar junto para sempre. É normal que adolescentes diante dos seus primeiros amores se sintam assim, então, que Finch e Violet achem que vão ficar juntos para sempre e falem sobre isso no livro, não é exatamente um problema, o problema é ela querer que o leitor compre isso e acredite que um relacionamento cheio de problemas pessoais, onde uma das partes desaparece e despeja seus problemas na outra é um relacionamento ideal.

Outro grande problema do livro é que Finch é um cara extremamente chato. Independente dos distúrbios e das questões que ele possa ter, ele é escrito para ser o mocinho e, portanto, o ideal romântico, que vai fazer as leitoras adolescentes suspirarem, mas ele é implicante, desagradável e passa um bom período do livro perseguindo Violet, mesmo depois que ela diz com todas as letras que não está afim de ver ele.

Além disso, ele é descrito como um nerd esquisitão, que tem poucos amigos, mas não se comporta dessa maneira e em muitos momentos, parece muito mais descolado do que Violet, que é descrita como uma menina bonita, popular e cheia de amigos.

O romance entre os dois flui bem durante um tempo, especialmente quando está tudo tranquilo, o livro vai ficando um pouco mais intrincado e um pouco mais parado depois que os primeiros problemas começam a surgir.

Também é interessante a maneira com que a autora incorpora lugares que de fato existem, na trama. Finch e Violet visitam, para o trabalho de escola, uma série de lugares inusitados, que parecem surreais demais para serem reais, mas no final, tem uma lista de Niven falando sobre cada um desses lugares, isso certamente exigiu muita pesquisa.

O livro tem como público alvo os adolescentes, por isso, faz sentido pensar que ele funciona melhor para os mais jovens, que estão mais próximos dos personagens do livro e que conseguem compreender melhor alguns dos sentimentos apresentados, por outro lado, justamente por ser direcionado para essa faixa etária, é que o livro deveria ser mais cuidadoso com o conteúdo que ele apresenta.

De uma maneira geral, Por Lugares Incríveis é um livro com uma trama bobinha e um tanto quanto óbvia, que tenta, à sua maneira falar sobre distúrbios mentais, mas que poderia ter feito isso de maneira melhor pensada. A leitura, no entanto, é bem fácil e o livro prende o leitor durante um tempo.

Com boas intenções, mas talvez sem muito traquejo para desenvolver um tema tão importante, Por Lugares Incríveis é uma história de amor que mira um pouco alto demais.

Título no Brasil: Por Lugares Incríveis

Título original: All the Bright Places

Autora: Jennifer Niven

Tradutora: Alessandra Esteche

Gênero: Romance, Young Adult

Ano de lançamento: 2015

Editora: Seguinte

Número de Páginas: 336

Foto: Fernanda Cavalcanti

Um comentário em “Por Lugares Incríveis, Jennifer Niven”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s