livros

Rebecca: A Mulher Inesquecível, Daphne du Maurier

A narradora do livro – de quem nunca ficamos sabendo o nome – é uma jovem sem muita ascendência social que trabalha como acompanhante de uma senhora rica. Um dia, quando está hospedada em um hotel chique, com sua patroa, ela conhece Maxim de Winter, um homem mais velho e rico.

Ele inesperadamente a pede em casamento e ela aceita. Os dois realizam uma cerimônia rápida e logo já estão vivendo na mansão de de Winter. Nos primeiros dias, a narradora – agora Mrs. de Winter – descobre a existência de uma anterior Mrs. de Winter – Rebecca – e que todos os criados da casa a adoravam e só tem elogios a mulher.

A nova Mrs. de Winter começa a sentir um ciúmes quase doentio da falecida Rebecca e passa a se sentir perseguida pela mulher, entrando em uma crescente paranoia.

Rebecca: A Mulher Inesquecível é o livro mais famoso de Daphne du Maurier, embora muita gente atribua a história original ao livro A Sucessora, de Carolina Nabuco, que foi publicado quatro anos antes de Rebecca: A Mulher Inesquecível, a verdade é que o livro de Maurier se tornou muito mais famoso.

O sucesso do livro se deve a várias características, a primeira é o fato de que ele era uma novidade na época em que foi escrito, a segunda é que ele funciona em muitos aspectos. O leitor lê o livro do ponto de vista da nova Mrs. de Winter, e mesmo sem saber o nome dela, ficamos presos na trama.

O começo é um tanto abrupto, a narradora mal conhece Mr. de Winter quando aceita casar com ele, mas tudo isso se justifica ao longo do livro. No entanto, o casamento dos dois parece funcionar bem, até eles chegaram na mansão onde Rebecca viveu.

É a partir daí que Mrs. de Winter começa a notar que a casa funcionava ao redor de Rebecca. Diferente da nova Mrs. de Winter, Rebecca era uma mulher criada na riqueza, que sabia perfeitamente como comandar uma casa, quando a narradora se vê de frente para a governanta tendo que aprovar o menu da semana, por exemplo, ela não sabe o que fazer.

Ela começa a achar que a educação que teve só a preparou para ser uma criada e não uma patroa e logo passa a ter certeza de que nada do que ela faça vai ser bom o suficiente se comparado ao que Rebecca fazia, seja aos olhos de seu marido, seja aos olhos dos criados. Mrs. de Winter também sente que Rebecca ainda possui alguma influência na casa, mesmo estando morta.

Como lemos o livro do ponto de vista da protagonista, nós também começamos a nos questionar, é muito fácil ser convencido pela trama que a narradora está pintando, mas uma vez que só temos a sua palavra, não tem como termos certeza se o que ela diz é completamente verdade ou se ela não está simplesmente enlouquecendo.

Quando Mrs. de Winter sai um pouco da casa e começa a conversar com pessoas de fora, ela recebe mais comportamentos estranhos, o que vai aumentando a paranoia da mulher.

No fim, Rebecca: A Mulher Inesquecível é um livro sobre paranoia, até certo ponto. Conforme vamos lendo, vamos descobrindo cada vez mais segredos que rondam não só Rebecca, mas também Maxim, a casa e os criados.

Rebecca: A Mulher Inesquecível é um livro que prende o leitor, porque é notável que existe alguma coisa errada acontecendo naquela mansão, mas ninguém sabe precisar muito bem o que é. Claro que existem aspectos do livro que podem ser desvendados com muita facilidade pelos leitores dos dias de hoje, porque muitas obras feitas depois já usaram deles, mas ele ainda é um livro bem surpreendente.

Além disso, é um livro muito moderno, mesmo tendo sido escrito em nos anos 30, afinal, ele foi escrito por uma mulher, tem uma mulher como protagonista e narradora e é centrado em outra mulher. Maxim, o marido das duas mulheres, quase não tem voz na história e funciona mais ou menos como um peão, que é levado de um lado para o outro por uma e por outra mulher, até um certo ponto do livro, pelo menos.

Rebecca: A Mulher Inesquecível é quase uma história de amor e obsessão, entre a atual e a antiga Mrs. de Winter.

O livro também traz à tona assuntos que não eram falados nos anos 30 e que hoje estão sendo discutidos mais abertamente.

No entanto, como o livro é antigo, a linguagem é um pouco mais dificultosa e ele é um pouco lento, bem diferente do que estamos acostumados quando pensamos em literatura policial dos dias de hoje. O começo do livro principalmente, pode ser um problema, mas conforme a história vai se desenvolvendo, ela vai se tornando interessante e vai prendendo o leitor.

Rebecca: A Mulher Inesquecível é um suspense, que segura o seu leitor e apresenta uma história misteriosa e inquietante.

Título no Brasil: Rebecca: A Mulher Inesquecível

Título original: Rebecca

Autor: Daphne du Maurier

Gênero: Suspense, policial

Ano de lançamento: 1938

Editora: Amarilys Editora

Número de Páginas: 448

Foto: Fernanda Cavalcanti

2 comentários em “Rebecca: A Mulher Inesquecível, Daphne du Maurier”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s