livros

Tudo Junto e Misturado, Ann Brashares

“Uma das muitas misericórdias da natureza era o fato de as pessoas geralmente não viverem o bastante para verem seus filhos ficarem velhos”.

Sasha e Ray são dois adolescentes que passam as férias na mesma casa e dividem o mesmo quarto, mas nunca ao mesmo tempo. Isso porque a mãe de Ray e o pai de Sasha foram casados muito antes dos dois nascerem, juntos eles tiveram três filhas – Emma, Quinn e Mattie- e uma casa de verão da qual ninguém abre mão.

O pai de Sasha e a mãe de Ray não se falam mais, cada um se casou de novo e teve outros filhos, mas eles ainda são obrigados a dividir a casa de verão, então, eles alternam as datas, levando seus novos cônjuges e seus filhos dos novos casamentos, enquanto as três filhas que ele tem em comum, continuam na casa durante as duas temporadas.

Ray e Sasha sempre tiveram vontade de se conhecer, mas nunca acharam que podiam ultrapassar essa barreira complexa que são as suas famílias, até o verão em que Emma, a irmã mais velha dos dois, anuncia que vai se casar e que deseja que tanto o pai, quanto a mãe, e, portanto, Ray e Sasha, devem estar no casamento.

Tudo Junto e Misturado tem uma premissa bem inovadora, o que é interessante, mas ele pode facilmente se tornar confusa. Primeiro é preciso entender como funciona a dinâmica das duas famílias, são muitos irmãos, muitos filhos, muitos pais e mães. Além dos já citados, Ray tem mais alguns irmãos por parte de pai, que aparecem muito pouco no livro, mas que são mais nomes para o leitor lembrar.

O livro ajuda o leitor nesse aspecto, no começo, tem um índice que explica quem é quem, mais ou menos como uma peça, mas ainda assim, no momento da leitura não é tão fácil se acostumar e entender quem é quem.

Uma vez que se supera essa dificuldade, no entanto, a história do livro é clara e prende o leitor. É interessante a escolha da autora de tratar de uma família que é muito moderna e que pode facilmente ser vista no mundo real.

Lemos o livro de pontos de vistas diferentes, e não só de Sasha e Ray, que são os protagonistas da trama, mas de todas as irmãs e alguma vezes de outras pessoas, como o noivo de Emma, por exemplo. Essa é uma boa ideia, uma vez que nos apresenta o ponto de vista de cada um dos personagens e dá o leitor uma visão geral da trama, algo que os próprios personagens não têm.

Além disso, o livro não gira em torno só de Sasha e Ray, e os outros personagens tem as suas próprias questões, que são inseridas na história aos poucos. Emma está apaixonada, Quinn parece ser a única da família que tem sensibilidade para entender tudo que se passa ali e Mattie, que é completamente diferente as irmãs mais velhas e começa a se questionar se ela não tem outra origem.

As tramas são bem pensadas e bem desenvolvidas, e a autora apresenta um trabalho bem feito, ainda mais quando pensamos que é complicado contar tantas tramas assim de uma vez só, mas o livro tem alguns problemas.

O primeiro é o principal pilar do livro, a relação de Sasha e Ray. Os dois não se conhecem pessoalmente, mas sabem tudo sobre o outro, porque dividem o mesmo quarto e praticamente tudo que está lá dentro. Ray, que começa narrando o livro, fala que a um tempo atrás tentou entrar em contato com Sasha através das redes sociais, mas que ela não quis, já Sasha também se mostra muito interessada em conhecer Ray, mas não tem coragem de ultrapassar a barreira que o pai dela e a mãe dele colocaram na relação dos dois.

No entanto, conforme a trama vai se desenvolvendo, Ray vai se mostrando ligeiramente atraído por Sasha e isso vai se desenvolvendo de uma maneira estranha, para dizer o mínimo. Primeiro porque uma vez que o tema central do livro é a família e as relações que se dão nesse contexto, não seria necessário nenhum romance entre dois protagonistas, isso poderia ser colocado em segundo plano, nas tramas das irmãs mais velhas, o que já acontece.

Segundo porquê de uma maneira ou de outra, Ray e Sasha são quase irmãos, e estão envolvidos na rotina um do outro, que tornaria um relacionamento amoroso uma questão um pouco complicada. Não que não fosse possível, mas é que esse elemento só é insinuado e não é muito bem desenvolvido, o que parece quase um gancho para um segundo livro.

E por fim, embora Tudo Junto e Misturado parta de uma boa ideia, ele se perde no meio do caminho e entrega uma história simples e até meio boba. O livro funciona como um bom entretenimento.

No entanto, a leitura de Tudo Junto e Misturado é fácil e o livro é bem curto, por isso, acaba sendo rápida. O livro também prende o leitor durante um bom tempo.

Tudo Junto e Misturado tem uma boa trama, que é original e bem pensada, mas se perde no meio de tantas histórias, por outro lado, ainda pode ser uma leitura divertida e entreter o leitor.

Título no Brasil: Tudo Junto e Misturado

Título Original: The Whole Thing Together

Autora: Ann Brashares

Tradutor: Cristian Clemente

Gênero: Drama, young adult

Ano de lançamento: 2017

Editora: Seguinte

Número de Páginas: 336

Foto: Fernanda Cavalcanti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s