livros

A Outra Casa, Sophie Hannah

Em uma madrugada qualquer, enquanto o marido dorme, Connie Bokskill resolve pesquisar casas a venda na internet. Quando ela faz o tour online da casa 11 – Bentley Grove, em Cambridge, ela vê, de repente, uma mulher morta na sala, em uma poça de sangue.

Ela chama o marido, mas quando os dois voltam para o computador, a imagem já não está mais lá. Connie, então, entra em contato com Simon Waterhouse, um detetive que lhe foi apresentado por sua terapeuta, mas Simon está em lua de mel. O caso acaba ficando com Sam Kombothekra, que parece disposto a ouvir Connie, embora ache sua história um pouco fantasiosa.

Conforme a investigação corre, percebemos que existe muitos segredos escondidos e que Connie tem uma ligação peculiar com a casa 11 – Bentley Grove.

A Outra Casa é um romance de suspense policial, mas não tem nada de típico. Primeiro é importante dizer que ele faz parte de uma série, que tem em comum a mesma equipe de investigação, mas que ele pode ser lido tranquilamente como um livro único. Eu mesma não li nenhum outro livro da série e nem sabia que A Outra Casa fazia parte de uma série. A trama de A Outra Casa funciona muito bem sozinha, embora, provavelmente tenham alguns pequenos detalhes que façam mais sentido para quem leu os outros livros.

A protagonista de A Outra Casa é Connie, uma mulher que vive com o marido e que por algum motivo, gosta de olhar casas a venda na internet. Ao longo do livro, vamos descobrindo que Connie tem algumas questões: ela é extremamente ansiosa e tem muita dificuldade em confiar nas pessoas. E que a casa que ela estava olhando tem, na cabeça dela, uma ligação com seu marido, Kit.

O livro se apoia muito na ideia de que sua protagonista não é totalmente confiável e que o leitor não sabe muito bem quem são aquelas pessoas que são retratadas. Lemos o livro do ponto de vista de Connie, de Sam, de Simon, de Charlie, a esposa de Simon e de Olivia, a irmã de Charlie e muitas vezes, as informações que aparecem na narração de Connie são desmentidas nas outras narrações, o que deixa o leitor sempre em dúvida do que está acontecendo.

Além disso, os capítulos são intercalados com documentos e cartas, que obviamente fazem parte de uma investigação, mas que não parecem ter qualquer relação com a trama de Connie.

A princípio esse mistério que ronda a trama toda é interessante, o leitor fica muito preso na história até descobrir qual é a relação da casa com Connie e porque ela andava pesquisando o lugar na internet, mas depois disso, tudo parece desandar. O livro, que já parte de uma trama um pouco confusa, vai se tornando mais incompreensível ainda, a investigação demora a avançar e quando avança, ainda deixa o leitor se perguntando.

Outra coisa que prejudica A Outra Casa é que o livro tem muitos personagens, talvez quem leu os outros livros da série tenha mais facilidade em saber quem é quem, ou pelo menos, em saber quem são os investigadores, mas para quem está em contato com esse universo pela primeira vez, tudo fica um pouco mais complicado. Os personagens de A Outra Casa são Connie, Kit, a família de Connie (que inclui pai, mãe, irmã, cunhado e sobrinho), Sam, Charlie, Simon, Olivia, o chefe de Sam e Simon e outras pessoas que vão aparecendo conforme a história vai se desenvolvendo.

O livro tem muitas reviravoltas, o que a princípio é uma boa coisa em um livro de suspense, mas que aqui acaba se tornando um pouco atrapalhado e uma hora fica difícil até acompanhar o que está acontecendo. No final do livro, o leitor quer acaba-lo mais porque já não aguenta mais tantas reviravoltas, e não porque tem tanto interesse em desvendar o mistério da história.

Os documentos que estão no meio do livro também parecem só jogados ali, é óbvio que eles estão ali para ajudar a entender a trama, mas não é possível entender sequer qual é a relação deles com a história de Connie. Tudo bem que um livro de suspense tem que ter mistério e até pistas falsas, mas A Outra Casa não dá quase nenhuma pista ao seu leitor e o livro policial que não dá pistas e que praticamente não permite que o leitor desvende o mistério, acaba se tornando um livro chato.

A Outra Casa até começa de maneira interessante e prende o leitor durante muito tempo, mas depois, ele vai ficando um pouco monótono e os pequenos defeitos do texto começam a saltar.

Não que a leitura seja chata, ela não é, A Outra Casa é um livro bem dinâmico, de leitura rápida e como o leitor fica preso durante bastante tempo, é muito fácil ler A Outra Casa, depois que ele vai ficando um pouco mais monótono e parado.

A Outra Casa sai de uma boa ideia, mas como reviravoltas demais, que acabam se tornando um pouco absurdas, confunde os leitores e acaba se tornando um pouco tedioso.

Título no Brasil: A Outra Casa

Título original: The Other Woman’s House

Autora: Sophie Hannah

Gênero: Suspense, Policial, Thriller

Ano de lançamento: 2011

Editora: Rocco

Número de Páginas: 464

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s