livros

Livros de Sangue III, Clive Barker

“That’s why all the scenes were playing, and replaying, and playng againg, in front of her. They were all moments when an audience was magically united with the screen, bleeding, through it eyes, looking and looking. She’d done it herself, often seen a film and felt it move her so deply it was almost a physical pain when the end credits rolled and the illusion was broken, because she left something of herself behind, a part of inner being lost up there amongst her heroes and her heroines. Maybe she had , maybe the air carried the cargo of her desires and deposited then somewhere intermingled with the cargo of other hearts, all gathering together in some niche, until this. This child of their collective passions. This technicolour seducer, trite, crass and utterly bewitching” – Son of Celluloid

“Era por isso que todas as cenas estavam passando, e repassando, e passando de novo, na frente dela. Aqueles eram momentos em que a audiência estava magicamente unida com a tela, sangrando, pelos olhos, olhando e olhando. Ela mesma tinha feito isso, se sentido tão tocada por um filme que os créditos finais e a quebra de ilusões quase traziam uma dor física, porque ela tinha deixado algo de si mesma para trás, uma parte sua perdida entre seus heróis e heroínas. Talvez ela tenha, talvez o ar tenha carregado o peso dos seus desejos e depositado em algum lugar, misturado com o peso do coração dos outros, todos juntos, em algum nicho, até aquele momento. Essa criança feita de suas paixões misturadas. Esse sedutor em tecnicolor, banal, grosseira e totalmente enfeitiçada” – Filho de celuloide

Traduzido livremente por Fernanda Cavalcanti

Livros de Sangue III é o terceiro volume da série Livros de Sangue, de Clive Barker. Como os seus antecessores, os contos desse volume são longos e se encaixam no gênero do terror. Os contos de Barker são pesadíssimos e trazem muitas cenas violentas, com bastante sangue e com muitas cenas de sexo, quase como se todas essas coisas– a violência, o sexo, o sangue e eventualmente a morte – estivessem conectadas.

Os contos desse livro, assim como dos outros, não tem necessariamente nenhuma ligação entre si, mas todos eles fazem parte de um projeto com uma espinha dorsal bem clara, que é explanado no primeiro conto do primeiro livro.

Os Livros de Sangue III tem cinco contos e eles são bem típicos do trabalho de Barker. Son of Celluloid tem como cenário um cinema, que de alguma maneira parece amaldiçoado, como se alguma coisa já tivesse acontecido lá. Rawhead Rex fala sobre uma criatura monstruosa que surge em uma pequena cidade, disposta a tudo para se alimentar.

Confessions of a (Pornographer’s) Shroud conta a história de Ronnie, um homem conservador que é incriminado e morto, quando é confundido com um grande empresário do ramo do pornô. Em forma de fantasma, Ronnie volta para se vingar de quem foi responsável pelo seu assassinato. Confessions of a (Pornographer’s) Shroud é um conto bem inusitado, ele se passa em um cenário bem diferente e embora ele tenha cenas bem fortes, ele é um conto mais irônico do que aterrorizante.

Scape-Goats acompanha um grupo de amigos que está em um yacht e que logo nota que os corpos de todos os marinheiros que já morreram no mar estão voltando a superfície e que eles não estão exatamente mortos. O último conto do livro, Human Remains, acompanha um garoto de programa que um dia vai até a casa de um arqueólogo. Quando o homem desaparece, ele começa a andar pela casa e descobre uma estátua masculina em um dos banheiros da casa, ele consegue sair de lá, mas a partir desse momento, começa a sentir sem vida e não tem mais vontade ou necessidade de comer ou dormir.

Livros de Sangue III parece um pouco mais curtos que os volumes anteriores – embora não seja -, provavelmente porque ele não traz contos tão pesados. Mesmo assim, o livro mantém aspectos muito clássicos dos trabalhos de Barker e tem pontos em comum.

Os contos desse volume também trazem personagens e cenários inusitados, como o homem que é confundido com o grande empresário do ramo da pornografia, o conto se passa, em muitos momentos, em uma produtora de filmes pornôs e coloca o leitor de frente com esse nicho que é muito pouco explorado ou o garoto de programa de Human Remains, que é um personagem extremamente interessante e marginal, que quase nunca aparece em um livro de terror. A sua situação de vida já traz por si só muito material para ser explorado e Barker faz isso bem.

Os dois contos também falam muito sobre sexo e sobre como o sexo se relaciona com a violência, uma questão bem comum no trabalho de Barker. Em Human Remains, Barker traz mais uma vez um personagem que é pelo menos, bissexual. O protagonista não se define em nenhum momento, mas fala que aceita clientes masculinos e femininos. O autor tem costume de colocar personagens LGBTQIA+ em seus livros e já disse em entrevistas que Hellraiser: Renascido do Inferno é sobre a sua própria jornada para se assumir.

Baker faz, de uma maneira geral, um terror bem interessante. Seus livros são bem diferentes dos livros de terror mais famosos e que a maioria do público está acostumado, seu terror é geralmente urbano e tem como protagonistas personagens masculinos, mas eles são inusitados e suas tramas são raríssimas em outros trabalhos do gênero, o que é sempre interessante.

Como os outros dois volumes anteriores, Livros de Sangue III tem contos bem grandes, o que pode ser uma coisa boa, se o leitor gosta da trama e está preso nela, ou uma coisa ruim, se o leitor não se interessou tanto por aquela história em especial. Como todo livro de contos, Livros de Sangue III tem seus altos e baixos, é possível gostar muito de um conto e detestar outro, uma vez que ele tem personagens e cenários muito diferentes, mas justamente porque os contos são longos, Barker tem bastante tempo para explicar aquele universo e aqueles personagens, o que torna o mergulho na história um pouco mais profundo.

Livros de Sangue III tem contos mais ágeis que os outros dois volumes e a leitura é bem rápida e prazerosa. Infelizmente como os outros volumes de Livro de Sangue, esse volume é quase impossível de se encontrar, o que reduz muito a sua leitura.

Livros de Sangue III traz contos mais rápidos que os volumes I e II, mas ainda mantém o estilo clássico de Barker e apresenta, mais uma vez, uma série de contos bizarros, assustadores e aflitivos.

Título no Brasil: Livros de Sangue III

Título original: Books of Blood – Volume III

Autor: Clive Barker

Gênero: Contos, Terror

Ano de lançamento: 1984

Editora: Berkley Books

Número de Páginas: 258

4 comentários em “Livros de Sangue III, Clive Barker”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s