livros

Primeiras impressões: Cartas para Jack, Igor Horbach

William é um estudante de direito, que vive um romance com Jack, seu colega de turma e está satisfeito com a sua vida. Até que ele descobre um câncer no pulmão, que logo se espalha por todo o seu corpo.

William precisa então, encarar a sua doença e Jack precisa apoia-lo.

Quando o livro Cartas para Jack começa, William já está ciente da sua doença e já sente os sintomas dela, que são descritos no livro. Logo no primeiro capítulo, ele já nos dá uma descrição detalhada de como se sente e como é “um dia normal” na sua vida, Cartas para Jack é escrito em primeira pessoa e por isso, o leitor também passa pela situação junto com William.

Ao mesmo tempo, ele vai nos descrevendo detalhes de sua vida que não tem nada a ver com a sua doença, quase como uma maneira de mostrar que ele é muito mais do que o câncer. William conta ao leitor sobre sua família, seus amigos, sua faculdade e seu relacionamento com Jack.

Somos apresentados a essa relação aos poucos, conforme William vai nos contando como tudo se desenvolveu. Cartas para Jack não é só uma narração, ele também apresenta as cartas que William escreve para o namorado, que são cheias de amor, mas também de medo e angustia.

É através da escrita em primeira pessoa e das cartas que mergulhamos quase que inteiramente na vida de William e é assim que o autor faz a gente viver um pouco como o seu protagonista, seja nos momentos em que ele fala da doença, seja nos momentos que ele fala sobre o que sente por Jack.

É por isso que o leitor se sente muito próximo desses personagens, uma vez que está de fato, dentro da vida deles. Sendo assim, é muito fácil simpatizar e torcer por eles e pelo relacionamento de William e Jack.

Cartas para Jack tem ainda outros pontos interessantes, como a ideia de falar sobre uma doença potencialmente mortal atingindo personagens jovens, que na teoria, estão bem longe da morte e que tiveram menos experiências de vida. É diferente de você ler a história de uma pessoa idosa que está doente, porque ela viveu bastante, mas quando se fala de um jovem universitário, essa premissa muda um pouco.

A trama de Cartas para Jack lembra outras que falam sobre casais que não podem ficar juntos para sempre porque enfrentam alguma adversidade, é possível pensar em alguns livros e vários filmes que usam dessa ideia (A Dama das Camélias, Moulin Rouge- Amor em Vermelho, Love Story, Doce Novembro, A Culpa é das Estrelas…), mas todas essas obras falam de casais heterossexuais. Cartas para Jack pode usar alguns dos aspectos presentes em todos esses filmes, mas tem como protagonistas um casal homossexual.

Mais do que isso, embora Cartas Para Jack tenha personagens gays, o livro não é de maneira nenhuma focado unicamente na sexualidade de seus personagens. Acompanhamos um romance entre dois garotos, que já está consolidado quando a história começa, portanto não vamos acompanhar eles se descobrindo ou enfrentando homofobia, – embora essas certamente sejam questões que mereçam ser discutidas – a grande questão de Cartas para Jack é que William e Jack estão apaixonados, mas que um deles tem uma doença terminal. O livro poderia ter como protagonistas um casal heterossexual, ou mesmo um casal formado por duas garotas, ou por pessoas transgêneras, ou por qualquer outra variação, a história ainda seria uma história de amor e isso é importante.

Quando se escolhe usar personagens homossexuais para falar de uma história universal e que diz respeito e tem o potencial para emocionar qualquer pessoa, independentemente de sua orientação sexual, faz-se também uma declaração de igualdade. Todo mundo pode se apaixonar, todo mundo pode enfrentar uma doença, todo mundo pode ver alguém que ama doente, por acaso, em Cartas para Jack, isso acontece com dois rapazes.

O livro também foge de estereótipos que são geralmente associados a personagens gays. William e Jack não são personagens envolvidos com carreiras artísticas, nem fazem referências a elementos da cultura pop que algumas obras relacionam aos seus personagens gays, como musicais e divas pop, provando que existem milhares de maneiras de ser gay e que nenhuma é menos ou mais valida que a outra. Claro que isso pode mudar com o tempo, uma vez que eu li apenas dez páginas do romance, mas a personalidade de William e Jack não estão pautadas em suas sexualidades.

O livro tem alguns trechos de músicas pop (na parte que eu li, as músicas citadas são de Rihanna e Katy Perry) no começo de cada capítulo, mas essas letras estão inseridas ali como uma abertura para a trama que vai ser contada e não como uma referência clara e explicita aquelas artistas. Essa técnica faz o livro ficar próximo de um musical, uma vez que sempre se relaciona a trama com alguma música.

A leitura de Cartas para Jack também é bem tranquila, a linguagem é fácil, a trama é interessante e como estamos presos naqueles personagens e extremamente interessados no vai lhes acontecer, a leitura se torna bem rápida e prazerosa, mesmo que o livro trate de um tema triste e pesado.

Cartas para Jack é uma história de amor, com todas as adversidades que uma grande história de amor merece, capaz de deixar o leitor apaixonado, mas também emocionado.

Título no Brasil: Cartas Para Jack

Título original: Cartas Para Jack

Autor: Igor Horbach

Gênero: Romance, LGBT, Young Adult

Ano de lançamento: 2020

Editora: Alarde

Número de Páginas: 140

Link para compra: https://editora-alarde.lojaintegrada.com.br/cartasparajack

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s