filmes, Mostra Internacional de Cinema

44ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo: Mães de Verdade, 2020

Kiyokazu Kurihara (Arata Iura) e Satoko (Hiromi Nagasaku) são um casal feliz, que tem uma vida perfeita com seu filho de seis anos, Asato (Reo Sato). Até que Hikari Katakura (Aju Makita) aparece dizendo ser a mãe biológica de Asato e a partir daí que ficamos sabendo como as vidas desses personagens se conectam.

O ponto de vista de Satoko

Quando Mães de Verdade começa acompanhamos a família de Satoko, que à primeira vista, é ideal. Ela vive com seu marido e seu filho, em um apartamento grande e de classe alta e tudo parece perfeito.

Essa ideia cai por terra quando Asato, o filho, é acusado de empurrar outro menino no parquinho, de propósito. Satoko não acredita que o menino tenha feito isso, mas se vê em uma situação complicada em relação aos outros pais.

É a partir daí que mergulhamos na vida de Satoko e Kiyokazu antes do nascimento de Asato. Acompanhamos os primeiros encontros dos dois, os planejamentos, o casamento e fica claro que Sakoto tem uma grande vontade de ser mãe, enquanto Kiyokazu embora não tenha esse sonho, também não se opõe.

O telespectador também tem acesso as tentativas dos dois de terem um filho e também a consulta onde eles ficam sabendo que Kiyokazu não pode ter filhos e assim resolvem adotar.

Satoko e Kiyokazu entram em contato com uma agência de adoção que promete cuidar de gestantes que não querem seus bebês e depois remaneja-los para os casais que desejam ser pais. A agência é extremamente rigorosa e tem algumas exigências, que envolvem até a permanência de um dos pais adotivos em casa.

É assim que Asato chega a vida de Satoko e Kiyokazu.

O ponto de vista de Hikari

A segunda parte de Mães de Verdade acompanha Hikari, a mãe biológica de Asato. Ela é retrata como uma adolescente de quatorze anos, as voltas com seu primeiro amor. O telespectador também acompanha o romance de Hikari e seu namorado, que vai de vento e polpa, até que ela descobre que está grávida.

Os pais de Hikari ficam desnorteados com a notícia e resolvem, sem perguntarem a filha, que ela vai para um retiro, onde depois de dar à luz, vai dar o bebê para adoção. Hikari reluta, mas não vê outra saída, e mesmo apegada ao bebê, acaba indo parar na agência de adoção.

A plateia acompanha o tempo em que Hikari passa no retiro, enquanto espera o nascimento do bebê e vê o quanto ela vai ficando cada vez mais próxima da criança que espera. É nessa parte do filme que também conhecemos outras mulheres que estão na mesma situação que Hikari.

Através dessas mulheres, Mães de Verdade fala sobre como são tratadas as mães solos no Japão. Em uma das cenas, filmadas como um documentário, dando a entender que é a própria Hikari que está por trás das câmeras, fica claro que todas as mulheres ali sentem vergonha de sua situação. Além disso, Hikari tem acesso a mulheres que tem histórias completamente diferentes da dela, mas que mesmo assim, se encontram ali.

Mães de Verdade continua seguindo Hikari depois que ela entrega Asato a Sakoto e mostra a vida da garota entrando em uma espiral de desesperança e desespero, como se ela ainda estivesse ligada ao filho que foi obrigada a dar.

As tramas se conectam

As histórias de Sakoto e Hikari se encontram apenas em dois momentos: quando Hikari entrega Asato a Sakoto e quando Hikari retorna atrás do menino. Mesmo assim, as duas mulheres estão ligadas desde o primeiro encontro, embora as suas vidas mostrem um contraste extremo.

Enquanto Sakoto encontra a felicidade em vários aspectos da sua vida depois que adota Asato, Hikari vê sua vida mudar radicalmente depois que ela é forçada a dar seu bebê.

Asato é a coisa mais importante da vida das duas mulheres e também é o que as transforma. É assim que Mães de Verdade se questiona sobre o que é ser mãe e sobre qual das duas mulheres é a verdadeira mãe de Asato, o que afinal, faz de alguém uma mãe?

No entanto, embora a ideia seja bem interessante e o filme traga questões importantes, ele parece não querer ir tão a fundo no assunto, e acaba não discutindo tudo que poderia, perdendo algumas oportunidades.

Aspectos técnicos

Mães de Verdade segue uma trama até relativamente comum. De um lado, temos um casal que não pode ter filhos, e de outro, uma jovem mãe que “não pode” criar seu bebê.

O que faz da trama do filme uma história diferente é que ela parte de um evento e volta ao passado para mostrar o que aconteceu com as duas mulheres. A história de Hikari é um pouco mais interessante, mas porque ela é a personagem que mais se transforma durante o filme, mas as duas tramas se complementam e dão a plateia um panorama completo de tudo que é mostrado no filme.

Mães de Verdade traz questões importantes e debate temas relevantes, como a posição da mulher na sociedade japonesa e o que de fato é ser mãe, mas pisa no freio no meio do filme e não vai tão a fundo quando poderia.

Isso não estraga a obra final, que ainda prende e emociona o telespectador.

O filme também tem questões técnicas bem cuidadas e bem pensadas. A casa e as roupas de Sakoto, por exemplo, são claras e organizadas, transmitindo uma sensação de tranquilidade, diferente da casa e dos figurinos de Hikari, que são escuros e bagunçados, dando a entender que tudo ali é um caos. Conforme, Hikari mergulha cada vez mais na tristeza, suas roupas vão ficando sujas e seu cabelo comprido, descuidado e bagunçado, como se o que ela sentisse por dentro, estivesse se refletindo em sua aparência.

É dessa forma que a plateia sabe que ela está cada vez mais próxima de seu limite. Quando ela chega a casa limpa e organizada de Sakoto, ela salta aos olhos, porque não combina nem com o local, nem com a outra mulher e nem com seu filho. No entanto, ela ainda é mãe biológica de Asato.

Mães de Verdade poderia ir mais a fundo nos assuntos que traz à tona, mas ainda funciona e passa a sua mensagem.

Mães de Verdade faz parte da programação da 44ª Mostra Internacional de Cinema, que acontece entre os dias 22 de outubro a 4 de novembro. O evento traz 198 filmes, de 78 países diferentes.

Devido a pandemia de Covid-19, em 2020, a Mostra Internacional de Cinema vai ser apresentada de maneira digital, através da plataforma Mostra Play, com algumas sessões no Petra Belas Artes Drive-in. O filme de abertura, Nova Ordem, do México, vai ser exibido no Petra Belas Arts no dia 22 de outubro, as 19h00. As 00h01, o filme estará disponível na plataforma Mostra Play por 24 horas. Os outros filmes da programação estarão disponíveis a partir das 20h00, do dia 22.

Os filmes que fazem parte da programação poderão ser assistidos em qualquer horário, mediante pagamento. Para mais informações, acesse: https://44.mostra.org/.

Título no Brasil: Mães de Verdade

Título original: Asa ga Kuru

Direção: Naomi Kawase

Gênero: Drama

Nacionalidade: Japão

Ano: 2020

Duração: 2h20

Elenco: Arata Iura, Hiromi Nagasaku, Aju Makita, Taketo Tanaka, Miyoko Asada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s