Adaptações, filmes

Filme: Convenção das Bruxas, 2020

Um Garoto (Jahzir Kadeem Bruno) órfão de sete anos, passa a viver com a avó (Octavia Spencer), que faz de tudo para anima-lo.

Quando os dois se hospedam em um hotel de luxo, eles descobrem que o local também vai ser o cenário de uma convenção de bruxas, presidida pela Grande Bruxa (Anne Hathaway) e que as bruxas odeiam crianças.

O garoto então, é um alvo iminente das bruxas hospedadas no hotel.

Convenção das Bruxas é inspirado no livro As Bruxas, de Roald Dahl.

Embora seja inspirado no livro de Dahl, a trama de A Convenção das Bruxas, pelo menos no Brasil, é bem mais famosa pelo filme de mesmo nome dos anos 90, que passava com bastante frequência na Sessão da Tarde.

Essa nova versão parte de princípios um pouco diferentes: o primeiro é, é claro, a tecnologia que está muito mais evoluída e que na teoria, tem a capacidade de tornar o remake mais realista. Os efeitos do filme de 1990 são de fato mais precários e em muitos momentos, parece que a produção usa muito mais de fantasias.

O remake também é mais fiel ao livro e por isso, é um pouco mais cruel que o filme antigo. Quem conhece a literatura de Dahl, tanto a infantil, quanto a adulta, sabe que ela é repleta de coisas bizarras e que seus trabalhos beiram entre o surrealismo e o terror, embora ele nunca se enterre profundamente no gênero. Os contos voltados para adultos do autor têm aspectos um pouco mais assustadores, mas mesmo suas histórias infantis, tem elementos bem macabros, como o quartinho da tortura de Matilda ou o sumiço de criança por criança em A Fantástica Fabrica de Chocolate.

As Bruxas não fica atrás. O livro é voltado para o público infantil, mas o conteúdo pode inclusive, perturbar os adultos. Esse novo Convenção das Bruxas é bem mais próximo do livro, do que do filme dos anos 90.

O filme fala sobre o acidente que os pais do Garoto sofreram, fala sobre a morte, seja ela dos pais do garoto, seja da avó, não poupa detalhes sobre as maldades que as bruxas já infringiram a outras crianças e nem tem um final muito otimista. Talvez a ideia seja agradar as crianças, ao mesmo tempo que faz um apelo aos adultos de hoje, que assistiram o original quando mais novos e muito possivelmente leram o livro de Dahl.

De certa maneira, funciona. O filme não é infantilizado e tem os seus momentos levemente assustadores, mas ainda pode ser assistido por crianças.

Convenção das Bruxas tem outros aspectos positivos, ele é narrado pelo Garoto, agora mais velho (voz de Chris Rock), que não entrega muitas pistas do que de fato aconteceu no futuro, mas nos dá algumas dicas. O filme também se passa nos anos 60 e tem figurinos e trilha sonora que combinam com a época, e isso também é relativamente bem feito.

Outro ponto positivo é a escolha de atores negros para interpretarem o Garoto – e a voz do Garoto – e a avó. No livro, não tem descrição física dos personagens, mas no filme dos anos 90, todos os personagens são brancos.

As Bruxas, dessa versão, também são especialmente assustadores e suas mudanças físicas estão mais próximas das que são descritas no livro. Convenção das Bruxas também remonta a infância da avó, onde ela própria teve um encontro funesto com a Grande Bruxa.

O longa também investe em uma das coisas mais bonitas do livro: a relação do Garoto com a avó. Vemos cenas dela tentando animar o neto depois da morte dos pais, dos dois juntos com frequência, dela protegendo o neto sempre que pode e o amor que existe entre os dois fica mais do que claro. Essa é uma mensagem bem importante e bem destacada na obra de Dahl, que ganha bastante ênfase aqui.

O filme é uma aventura divertida, ao mesmo tempo que tem toques assustadores e cenas bizarras e por isso mesmo, é a cara de Roald Dahl.

É óbvio também que Convenção das Bruxas tem uma grande produção e embora use bastante dos efeitos visuais, não abusa deles, o filme não é um filme só de efeitos e sua trama se segura. As cores também chamam atenção, tudo é bem colorido, desde o hotel, até as roupas dos personagens.

O filme também tem boas atuações, como as de Octavia Spencer e Anne Hathaway, que está de fato perfeita no papel e consegue se sair muito bem tanto na comédia, quanto no terror, por menor que ele seja. A dublagem de Chris Rock também é divertida e cai bem no longa.

Misturando terror e comédia, Convenção das Bruxas é uma adaptação fiel a obra de Roald Dahl, que talvez não supere o filme de 1990, mas que tem potencial para agradar os fãs mais velhos e atrair fãs mais novos.

Título no Brasil: Convenção das Bruxas

Título original: The Witches

Direção: Robert Zemeckis

Gênero: Fantasia, Comédia, Família

Nacionalidade: EUA

Ano: 2020

Duração: 1h 45min

Elenco: Anne Hathaway, Octavia Spencer, Stanley Tucci, Kristin Chenoweth, Chris Rock

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s