livros

O Filho da Bruxa, Gregory Maguire

“Are children still blameless if they’re going to grow up to be the enemy?”

“As crianças ainda são inocentes se elas vão crescer para se tornarem o inimigo?”- Traduzido livremente por Fernanda Cavalcanti

Depois da morte de Elphaba pelas mãos de Dorothy Gale, Liir, um garoto que acompanhava a bruxa e que se suponha ser seu filho fica sozinho em Oz. Quando Dorothy deixa Oz e os seus amigos se separam, Liir resolve ir em busca de Nor, filha de Fiyero e suposta meia irmã de Liir, que foi levada e presa quando ainda era criança.

O Filho da Bruxa é o segundo livro da série The Wicked Years e é a continuação de Wicked: A História Não Contada Das Bruxas De Oz.

O Filho da Bruxa se passa logo depois do final do seu antecessor, nele, Liir acabou de assistir a morte de Elphaba, que supostamente é a sua mãe e precisa decidir o que fazer com sua própria vida. Ele não passa muito tempo lamentando a morte de Elphaba, uma vez que os dois nunca tiveram uma relação muito próxima e que Liir nunca a considerou sua mãe, essa é uma questão que é colocada pela própria Elphaba, que não lembra do nascimento de Liir, mas que lembra de acordar e tê-lo ao seu lado e o leitor, automaticamente assume que Liir é filho de Elphaba e Fiyero.

O livro passa boa parte do seu tempo acompanhando Liir enquanto ele anda por Oz, tentando encontrar Nor, filha de Fiyero, que também aparece no primeiro livro. Nor, sua mãe, suas tias e seus irmãos foram levados pelo exército e presos, ainda em Wicked: A História Não Contada Das Bruxas De Oz. Liir se predispõe a encontrar todos, mas logo descobre que a única que restou foi Nor.

O Filho da Bruxa também fala sobre os relacionamentos românticos de Liir, o que mais uma vez coloca o livro na categoria de livros adultos, já que ele tem cenas bem explicitas de sexo e violência.

A política também é outra questão que prossegue em O Filho da Bruxa. Somos introduzidos mais uma vez na política interessante, mas ainda confusa de Oz, que tem algumas remanências de O Mágico de Oz, mas que é mais trabalho de Maguire. Além disso, a questão vem muito à tona toda vez que Liir fala sobre o sequestro e a prisão de Nor e toda a sua família, que tem claras motivações políticas.

O Filho da Bruxa se passa em Oz e usa alguns dos personagens dos livros de L. Frank Baum, como o espantalho, que é bem próximo de Liir, mas já parece uma história ainda mais distante dos livros originais do que Wicked: A História Não Contada Das Bruxas De Oz, uma vez que o protagonista desse livro sequer existe nas histórias de Baum.

Como seu antecessor, O Filho da Bruxa é um livro adulto, diferente de O Mágico de Oz, que mesmo cheio de metáforas e de comentários políticos, é voltado para o público infantil. O Filho da Bruxa é um livro complexo, com muitas referências políticas, que pode inclusive, confundir adultos.

O livro também deixa muitas portas abertas, nada é declarado com certeza. Suspeita-se que Liir seja filho de Elphaba e de Fiyero e, portanto, meio-irmão de Nor, mas nada disso é dito com clareza, o que por um lado estimula a leitura e o suspense e por outro, desanima, já que o leitor nunca tem certeza de nada.

Como o primeiro livro da série, O Filho da Bruxa vai ficando arrastado com o tempo e cada vez mais confuso, talvez porque o autor não só fale sobre a Oz que já existia na mente do seu autor original, mas também acrescente a sua própria concepção do lugar. O que pode atrapalhar também é o fato de que O Mágico de Oz é na verdade uma série de treze livros, que não são nem um pouco conhecidos no Brasil, e onde talvez exista mais informação sobre a terra de Oz e que é usada nos livros de Maguire, mas da qual, pouca gente no Brasil, sabe muita coisa.

A ideia de Maguire é muito boa, e Wicked: A História Não Contada Das Bruxas De Oz consegue trabalhar essa ideia de maneira bem satisfatória, ainda que um pouco confusa, O Filho da Bruxa, que foi publicado dez anos depois, parece mais uma continuação desnecessária e que já sai um pouco do espectro de O Mágico de Oz. Wicked: A História Não Contada Das Bruxas De Oz funciona muito bem sozinho, mas O Filho da Bruxa é quase incompreensível sem que se saiba pelo menos o básico sobre o primeiro livro.

Embora parta de uma boa ideia, trate de temas interessantes e tenha a sua disposição um universo fantástico e criativo, O Filho da Bruxa se perde no caminho e acaba deixando os leitores confusos e um pouco entediados.

Título no Brasil: O Filho da Bruxa

Título Original: Son of a Witch

Autor: Gregory Maguire

Gênero: Fantasia

Ano de lançamento: 2005

Editora: Ediouro

Número de Páginas: 384

Foto: Fernanda Cavalcanti

2 comentários em “O Filho da Bruxa, Gregory Maguire”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s