livros

Matando Formigas, Filipe Salomão

“Mais triste ainda era ver como a ideia de acabar com algumas vidas tinha sido aceita tão facilmente e que o problema era apenas errar o tiro e acertar um inocente”

Na República da Terra das Palmeiras, um homem é eleito presidente, prometendo mudar o país. Suas ideias são radicais, mas grande parte da sociedade embarca nelas e vê pouco a pouco tudo mudar, mas não necessariamente para melhor.

O que começa com o extermínio da população de rua, em nome de “limpar a sociedade”, escala para censura e perseguição de qualquer um, inclusive das pessoas que colocaram o presidente no poder.

A sinopse de Matando Formigas é bem interessante. O autor começa nos apresentando um país repleto de desigualdade, onde a corrupção impera e que vive uma séria crise moral. Um homem aparece prometendo mudar tudo e garantir uma vida melhor para as pessoas, a questão é que não são todas as pessoas que estão nesse plano, mas mesmo assim grande parte da população compra essas ideias e acha que é razoável que pessoas menos privilegiadas morram para que as mais privilegiadas vivam bem.

O homem é eleito presidente e logo começa a pôr em pratica o que pregou: sua política consiste em um extermínio da população de rua, o que é aceito pela maioria, até que o governo começa a estabelecer toques de recolher e todas as pessoas que permanecem na rua depois do toque, passam a correr perigo e algumas que não são moradoras de rua acabam mortas.

Para evitar que se fale sobre os erros, o governo começa a censurar os jornalistas e evita responder perguntas, até que o povo comece a ter medo de falar sobre o assunto. E a partir daí tudo começa a degringolar.

Filipe Salomão deixa claro no começo do livro que Matando Formigas fala sobre um país fictício e sobre personagens fictícios, e é interessante que ele não dê nome a ninguém, pois assim qualquer pessoa, que viva em qualquer país e sobre o julgo de qualquer governo pode se reconhecer e se ver naquele mundo.

É impossível, portanto deslocar o livro da atualidade, ainda mais em vista da epidemia de Covid-19, onde assistimos muitas mortes diariamente e mais ou menos como os personagens do livro, perdemos a sensibilidade em relação a um assunto tão doloroso. Matando Formigas fala com qualquer pessoa que viva no Brasil – e em muitos aspectos, em qualquer parte do mundo – dos anos 2020, mas com certeza pode falar com pessoas que já viveram outras épocas trágicas e no futuro, vai falar com outras pessoas que se veem em um cenário parecido.

O perigo apresentado em Matando Formigas vai escalando devagar, começa com a morte de pessoas “indesejáveis”, que na teoria, não fariam falta na sociedade, mas logo atinge pessoas que estavam na rua no horário errado e mais tarde, já passou de todos os limites. A situação apresentada no livro faz a gente pensar sobre o absurdo que é achar que algumas pessoas podem morrer para que a vida de outras fique melhor e não pensar em uma maneira de melhorar a vida de todas, nem que seja em maior ou menor escala.  

O livro é assustador, embora não seja um livro de terror, porque retrata uma sociedade fictícia, que pode ser qualquer lugar, com eventos que podem acontecer em qualquer lugar e que em muitos casos, está de fato próxima. Claro que os eventos retratados no livro são levados ao extremo, afinal, a ideia do livro e da literatura especulativa de uma forma geral, é imaginar o cenário mais dramático e mais exagerado possível, para que quem o lê consiga entender o que pode acontecer, mas mesmo assim, não deixa de ser realista.

Matando Formigas não é por si só um livro político, embora fale de um presidente e da política que ele defende e exerce, muito mais do que denunciar o comportamento criminoso do homem em questão, o livro parece querer mostrar o comportamento dos cidadãos, que fecharam os olhos para o que era absurdo ou até concordaram, em busca de supostamente melhorar suas próprias vidas, sem questionar o que isso queria dizer e mais tarde, perceberam que se uma pessoa não está segura, ninguém está, é só uma questão de tempo.

Mesmo tratando de temas fortes e pesados, a escrita de Salomão é muito prazerosa e a leitura de Matando Formigas é muito rápida, mesmo porque a trama do livro nos prende rapidamente.

Apresentando um país fictício, mas que retrata a realidade, Matando Formigas é um livro realista e assustador, que deixa o leitor horrorizado, mas também desperta pensamentos e conclusões.

Título no Brasil: Matando Formigas

Título original: Matando Formigas

Autor: Filipe Salomão

Gênero: Ficção cientifica, Distopia

Ano de lançamento: 2020

Número de Páginas: 91

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s