livros

O Guia do Mochileiro das Galáxias, Douglas Adams

O mundo acaba repentinamente, mas para a sorte de Arthur Dent, seu melhor amigo é na realidade, um alienígena disfarçado preso na terra, que o salva. Os dois embarcam em uma nave e saem em uma viagem pelo espaço, onde Arthur vai conhecer uma variedade de criaturas e se questionar sobre qual é o sentido da vida.

O Guia do Mochileiro das Galáxias é o primeiro volume da série de mesmo nome, de Douglas Adams.

O Guia do Mochileiro das Galáxias foi publicado em 1979, mas é até hoje considerado um clássico da ficção cientifica. No entanto, ele é bem diferente de outros livros do gênero.

O livro já começa de uma maneira bem surreal: Arthur Dent é um cidadão comum, com uma vida nada extraordinária, que mora na Inglaterra. Sua rotina nunca muda, até que o mundo acaba, mas Arthur não sabe que seu melhor amigo, Ford Prefect, é na verdade, um alienígena disfarçado de humano, que ficou preso na terra.

Ford consegue colocar Arthur dentro de uma nave e os dois sobrevivem ao fim do mundo, mas se veem vagando pelo espaço, sem saber para onde ir. A partir daí, os dois começam a cruzar com uma série de pessoas e criaturas, que sempre dão um tom ainda mais bizarro a história.

As preocupações dos personagens de O Guia do Mochileiro das Galáxias são bem diferentes das preocupações dos personagens de outros livros de ficção cientifica e justamente por isso, a trama toma rumos bem diferentes. Enquanto a maioria das obras do gênero se preocupam em explorar planetas misteriosos e se questionar sobre o que existe fora da terra, O Guia do Mochileiro das Galáxias se prende mais a história de cada personagem, suas dúvidas e seus pensamentos.

Arthur, o protagonista, não saiu da terra com intenções de explorar nada, ele se salvou do fim do mundo por acaso e boa parte do primeiro livro se resume a ele tentando entender o que aconteceu e se acostumar com a sua nova vida no espaço, Ford funciona como um guia para Arthur no espaço. Além dos dois, o livro apresenta Marvin, um androide neurótico e paranoico, o que já contradiz toda a ideia do robô que em tese, não deveria ter sentimento nenhum, Tricia McMillan, uma garota que Arthur tinha conhecido em uma festa na terra e que também foi salva e Zaphod Beeblebrox, o vilão da série, que é mais atrapalhado do que malvado.

Tudo em O Guia do Mochileiro das Galáxias é bem diferente e é justamente essa a graça do livro. Em 1979, quando a obra foi publicada, o mundo já tinha lido muitas histórias que se passavam no espaço, uma vez que nos anos 60, com a corrida espacial, a humanidade sentiu vontade de explorar esse cenário, se Adams tivesse escrito uma ficção cientifica que fosse pelo menos caminho e investigasse o que poderíamos encontrar no espaço e que perigo isso representa, provavelmente O Guia do Mochileiro das Galáxias seria só mais um livro. Como ele parte para outro caminho, a obra continua sendo lembrada ainda hoje.

O Guia do Mochileiro das Galáxias também investiga o que podemos encontrar no espaço, mas o faz de uma maneira bem diferente. O que Arthur encontra fora do planeta terra não é ameaçador de maneira óbvia, mas sim cômico e até bem parecido com o que tem por aqui. É assim que Douglas fala sobre como é a vida dentro da terra mesmo, uma vez que os habitantes do espaço também estão sujeitos a injustiça e burocracia, por exemplo.

O livro também traz uma série de questionamentos, que condizem com as questões que a humanidade se faz a anos: de onde viemos? Para onde vamos? Porque viemos? Qual o propósito da vida na terra? Douglas não quer responder nenhuma dessas perguntas diretamente, mas ele o faz através do humor.

O Guia do Mochileiro das Galáxias é um livro com um humor nonsense bem especifico, que pode não agradar todo mundo, mas é impossível negar que Adams faça muito bem o que ele se propõ. O livro tem muitos momentos divertidos e muitas coisas que soam próximas de nós e da vida na terra.

No entanto, O Guia do Mochileiro das Galáxias é um livro meio parado, que demora para engatar, o livro pega no tranco e começa a ficar mais interessante lá pela metade, o que pode ser um problema em um livro que tem 208 páginas, porque ele só esquenta mesmo muito perto do final.

O Guia do Mochileiro das Galáxias é uma boa pedida para quem gosta do gênero e quer variar um pouco suas perspectivas, mas a leitura é um pouco arrastada e ele parece agradar um público bem especifico. A leitura é rápida, afinal, o livro é curto.

Embora seja um clássico, O Guia do Mochileiro das Galáxias é um pouco lento e pode não agradar todo mundo.

Título no Brasil: O Guia do Mochileiro das Galáxias

Título Original: The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy

Autor: Douglas Adams

Tradução: Paulo Fernando Henriques Britto, Carlos Irineu da Costa

Gênero: Ficção cientifica, Comédia

Ano de lançamento: 1979

Editora: Editora Arqueiro

Número de Páginas: 208

Foto: Fernanda Cavalcanti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s