Adaptações, filmes

Filme: A História Pessoal de David Copperfield, 2019

David Copperfield (Dev Patel) é um jovem de baixa classe social, que deseja vencer na vida. Quando fica órfão, suas dificuldades aumentam e ele se vê sozinho no mundo, enquanto navega em busca do seu futuro.

A História Pessoal de David Copperfield é inspirado no livro David Copperfield, de Charles Dickens.

A História Pessoal de David Copperfield é um filme relativamente fiel a obra de Charles Dickens. A trama acompanha David Copperfield, um órfão de classe baixa, que começa sua vida trabalhando em uma fábrica, ele tenta mudar de vida, mas sempre esbarra com dificuldades.

De uma certa maneira, A História Pessoal de David Copperfield retrata uma vida relativamente comum, pelo menos para a época em que o filme se passa. David vira órfão, trabalha desde criança, encontra o amor e tenta mudar de vida. Os temas do filme – assim como os do livro – são bem comuns as obras de Dickens, que denunciava problemas sociais da sua época, como o trabalho infantil e a situação das crianças na Inglaterra.

Esse tema aparece aqui de maneira rápida e leve, embora seja um dos assuntos principais do livro. O filme parece querer se focar em outros aspectos da história.

David também é criativo e gosta de criar histórias, por isso, várias cenas são centradas nas histórias que o próprio David cria e em muitos momentos, assistimos essas criações.

O longa tem um aspecto extremamente teatral, desde o seu roteiro, até os seus figurinos e cenários. Quando David entra nas suas histórias, esse aspecto teatral corre solto.

A História Pessoal de David Copperfield parece uma mistura de ficção com sonho, uma vez que somos apresentados a vida como ela era na época em que o livro se passa e como Dickens a quis retratar, ao mesmo tempo que acompanhamos os sonhos e fantasias de David. Enquanto o livro é uma história bem realista, o filme deve ser pensado mais como uma fantasia.

O aspecto teatral é interessante e nos traz uma fotografia e aspectos técnicos muito bonitos. As cores do filme são fortes e chamam a atenção do telespectador, mas como boa parte das obras cinematográficas que passeiam entre o cinema e o teatro, A História Pessoal de David Copperfield vai se tornando um pouco cansativo com o tempo, o fato do filme ter quase duas horas de duração, faz com que essa sensação fique ainda maior.

Isso não acontece no livro, que é grande (1160 páginas), mas onde a leitura é tão prazerosa que o leitor nem sente passar. O filme é bem mais cansativo.

Um dos grandes méritos de A História Pessoal de David Copperfield é o seu elenco colour-blind, que escala atores de todas as raças para papéis tradicionalmente brancos. David Copperfield, por exemplo, aqui é interpretado por um ator filho de indianos, e Agnes, o interesse romântico de David é interpretada por Rosalind Eleazar, uma atriz negra. Lembrando que o livro não dá muitas descrições físicas dos personagens, mas pela época em que ele foi escrito, supõe-se que os personagens foram pensados como brancos, uma vez que a Inglaterra não era miscigenada na época.

A ideia de escalar um elenco que se parece muito mais com a Inglaterra – e o mundo – atual do que com a época em que o livro foi escrito é interessante. A Inglaterra foi o destino de muitos imigrantes indianos, e o próprio Patel, embora seja filho de indianos, é inglês e é revigorante ver isso na tela.

O elenco também está bem no filme. Patel está perfeito em seu papel e faz com que o telespectador queira acompanhar suas aventuras, ele interpreta um David muito carismático, o que é essencial para que a gente goste e torça por ele. Outro destaque é Tilda Swinton, que interpreta a tia de David e que é uma personagem divertida e importante.

A parte técnica de A História Pessoal de David Copperfield é perfeita e chama muito a atenção, o roteiro, no entanto, é um pouco lento, especialmente quando escapa da trama que Dickens colocou no seu livro.

O filme mantém algumas questões do livro e também faz com que a gente goste de seu protagonista, como acontece na obra original, mas a ideia é, acima de tudo, modernizar a história de Dickens. Não que não seja possível, mas os aspectos da literatura de Dickens são tão claros e tão facilmente reconhecíveis, que é difícil comprar uma versão um pouco mais modernizada de suas tramas. Existe uma expectativa quase natural quando se assiste uma adaptação de Dickens, e aqui essas expectativas são quebradas.

O grande problema do filme, no entanto, é o seu ritmo, que diferente do livro, é lento e vai pouco a pouco se tornando cansativo. Por mais que gostemos do protagonista e de sua história, uma hora nos cansamos.

A História Pessoal de David Copperfield não é um filme ruim, e até funciona como uma boa adaptação, mas quando tenta modernizar questões muito especificas da obra original, se torna lento e cansativo.

Título no Brasil: A História Pessoal de David Copperfield

Título original: The Personal History of David Copperfield

Direção: Armando Iannucci

Gênero: Drama, Comédia

Nacionalidade: Reino Unido, Estados Unidos

Ano: 2019

Duração: 1h 59min

Elenco: Dev Patel, Hugh Laurie, Tilda Swinton, Peter Capaldi, Aneurin Barnard

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s