livros

Tiger Lily, Jodi Lynn Anderson

“Às vezes, penso que talvez sejamos apenas histórias. Como se pudéssemos ser apenas palavras numa página, pois somos apenas o que fizemos e o que vamos fazer”.

Abandona na Terra do Nunca quando bebê, Tiger Lily é adotada pelo xamã Tic Tac, mas mesmo assim, não é completamente aceita na tribo. Tiger Lily é diferente de todos os outros membros e é vista como pária.

Na adolescência, ela conhece Peter Pan e os dois iniciam um romance, mesmo com Tiger Lily prometida a um membro da tribo. Tudo muda para os dois quando Wendy Darling e seus irmãos chegam a Terra do Nunca.

Tiger Lily é uma releitura de Peter Pan, livro de J. M. Barrie.

Tiger Lily é mais um exemplo das releituras de clássicos focados em personagens coadjuvantes, aqui a protagonista é Tiger Lily (conhecida na maioria das traduções brasileira como Princesa Tigrinha) e o livro é narrado pela fada Sininho. A maioria das obras desse gênero são focadas em vilãs, que ganham uma nova roupagem e um motivo com potencial para explicar a vilania da personagem, como acontece, por exemplo em Wicked: A História Não Contada Das Bruxas De Oz, mas esse não é o caso de Tiger Lily.

Na história original, Tiger Lily não é bem uma vilã, embora ela não seja muito bem vista por Wendy, John e Michael, já que ela demonstra ter ciúmes de Peter e se coloca como competição de Wendy pela afeição do protagonista, assim como Sininho, mas na realidade, Tiger Lily quase não aparece.

Tiger Lily vem com a intenção de fazer justiça a personagem, que é desperdiçada na trama original, onde só serve para reforçar os estereótipos dos indígenas americanos e como um suposto antigo amor de Peter. Aqui a trama não gira em torno de Peter, mas sim da própria Tiger Lily.

A protagonista foi abandona quando bebê e adotada pelo xamã de sua tribo, mas nunca se sentiu completamente bem-vinda, ela tem poucos amigos e é mal vista no local, mas ela também é esperta e rebelde e quebra as regras da tribo o tempo todo. É em um desses momentos que ela anda até uma parte da Terra do Nunca que é proibida e acaba conhecendo os meninos perdidos e claro, Peter Pan.

Tiger Lily e Peter Pan começam um romance inocente e até bonitinho, que não é muito diferente dos romances adolescentes comuns de livros voltados para esse público, e o amor da protagonista por Peter é forte, mas não é o grande tema do livro. Tiger Lily tem outros questionamentos, como sua relação com os membros da sua tribo e com seu pai adotivo, que parece ser a única pessoa que a compreende.

As personagens femininas de Peter Pan são, em sua maioria, pouca exploradas, na história original, Wendy é a que ganha mais destaque, mas ainda assim, ela é mostrada como uma “mãe” para os irmãos e os meninos perdidos e um interesse romântico para Peter, que na realidade, não lhe dá muita bola. Sininho aparece apenas como uma fada ciumenta, que não suporta Wendy e Tiger Lily mal aparece e mesmo assim, sua trama é centrada em Peter. Na trama original, as personagens femininas circundam ao redor de Peter.

Por isso que em Tiger Lily, fica claro o esforço da autora para dar mais voz a essas personagens, embora nem todas recebam o mesmo tratamento. A história é focada em Tiger Lily – que das três é a que aparece menos no livro original e, portanto, dá mais espaço para que Anderson molde a sua história de maneira mais desejável -, mas narrada por Sininho, que aqui é uma fada inteligente e articulada, mas que não tem nenhum interesse romântico em Peter, o livro, inclusive, se preocupa em explicar a origem de Sininho e de seus pais e de ensinar como são as fadas nesse universo criado por Anderson. A única que não ganha quase nenhum destaque é Wendy, ela aparece pouco e ainda é uma garotinha apaixonada por Peter, outra questão é que a rivalidade entre ela e Tiger Lily permanece, mesmo que elas consigam passar por cima disso em alguns momentos.

A ideia de Tiger Lily é interessante, obras como Peter Pan sempre tem potencial para serem reexploradas, uma vez que como clássicos, trazem mensagens universais e atemporais, é legal, por exemplo, que Anderson se preocupe em modernizar e trazer para os dias de hoje uma história antiga e que originalmente é muito centrada em um personagem masculino e não faz justiça a suas personagens femininas, por mais interessantes que elas sejam, mas Tiger Lily não acrescenta muita coisa.

A obra tem conceitos muito instigantes, como o fato de Tic Tac, o pai de Tiger Lily ser, aparentemente, uma pessoa de gênero fluido e que as vezes se veste com roupas tradicionalmente masculinos e as vezes se veste com roupas tradicionalmente femininas e que sofre preconceito velado na tribo em função disso, mas tem outras questões que já não funcionam tão bem, como a própria caracterização de Wendy, que ganha pouco destaque e que continua sendo “a nova namorada” de Peter e, portanto, rival de Tiger Lily.

Outra questão que não convence muito é justamente o romance de Tiger Lily e Peter Pan, talvez porque estejamos acostumados a ver Peter como criança ou talvez porque a relação dos dois não seja completamente firmado na trama original e apenas insinuada, mas esse relacionamento é o principal chamariz do livro.

Tiger Lily é um Young Adult, embora seja também um livro de fantasia e consegue misturar bem os dois gêneros, ele também recria uma Terra do Nunca que respeita a ideia de Barrie, mas que acrescenta elementos de Anderson, o leitor consegue relacionar a descrição com a Terra do Nunca que conhece, ao mesmo tempo que percebe que a autora colocou a sua própria visão.

A leitura é fácil, rápida e prazerosa e o leitor se prende a trama rapidamente, é claro que Tiger Lily não é perfeito e tem pequenas questões que atrapalham um pouco o desempenho final, mas nada que o prejudique definitivamente e uma vez que é sempre interessante conhecer novas versões de histórias clássicas, o livro é, sem dúvida nenhuma, um bônus.

Tiger Lily usa de personagens existentes para contar novas tramas e dá voz a personagens femininas que antes tinham apenas papeis secundários e eram pautadas por personagens masculinos e por isso, vale a leitura.

Título no Brasil: Tiger Lily

Título Original: Tiger Lily

Autora: Jodi Lynn Anderson

Tradução: Cláudia Mello Belhassof

Gênero: Fantasia, Young Adult, Romance

Ano de lançamento: 2012

Editora: Morro Branco

Número de Páginas: 320

Foto: Fernanda Cavalcanti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s