livros, Quadrinhos

Black Dog: Os Sonhos de Paul Nash, Dave Mckean

“Ansiamos por aquilo que nos é negado”.

Em Black Dog: Os Sonhos de Paul Nash acompanhamos o período em que o pintor Paul Nash esteve na primeira guerra mundial, através das anotações de Nash. Nessa edição, os relatos de Nash são transformados em quadrinhos por Dave Mckean.

Paul Nash foi convocado para a primeira guerra aos vinte cinco anos e voltou para a Inglaterra completamente mudado. Depois disso, ele começou a escrever e pintar sobre suas experiências.

Aqui Dave Mckean coloca em forma de quadrinhos esses relatos. Embora os relatos de Nash sejam muito influenciados pela guerra e pelos traumas advindos desse acontecimento, as cenas não necessariamente se passam na guerra, algumas delas refletem outros momentos e muitas delas são sonhos do autor.

Por isso, várias cenas são tão oníricas, que mais se aproximam dos sonhos do que da realidade, mesmo quando elas se passam na realidade, e essa sensação fica maior quando sabemos que o cachorro preto, que dá título ao livro, era um elemento comum nos sonhos do pintor. O cachorro preto também aparece bastante na graphic novel.

A ideia não parece ser mostrar a guerra de maneira realista, mas sim refletir os pensamentos de Nash durante esse momento terrível de sua vida e apresentar os traumas que ele levou para toda a vida. Black Dog: Os Sonhos de Paul Nash não é bem um graphic novel de terror, mas tem muitos momentos assustadores, tanto pelos fatos reais que levaram Nash a colocar seus pensamentos para fora, quanto pelo conteúdo, que é muitas vezes apavorante. Em um dos sonhos, por exemplo, Nash conta que vê um cadáver, mas quando chega mais perto, nota que o cadáver é ele mesmo.

O clima de Black Dog: Os Sonhos de Paul Nash é macabro e bem sinistro, e a graphic novel deixa o leitor tenso do começo até o fim.

As ilustrações de Mckean, que misturam diversas técnicas de desenho, complementam muito bem os pensamentos de Nash. Elas são macabras, assustadoras, com tons escuros e se aproximam muito mais do pesadelo do que dos sonhos, o que faz sentido, afinal, a graphic novel reflete a guerra e os traumas provindos dela.

A intenção da graphic parece se aproximar muito da ideia de Nash quando escreveu seus relatos: colocar para fora o que ele viu na guerra. Mckean não foi para guerra, mas faz a sua própria versão através das suas ilustrações e então, transforma um evento tão horroroso quanto a primeira guerra mundial, em arte.

A edição é da DarkSide Books, que como sempre faz um trabalho cuidadoso, o livro como objeto físico também é uma obra de arte: capa dura, textura diferente no título, imagens lindas, folhas de alta qualidade. A leitura é rápida, como geralmente acontece com frequência com grapich novels, e embora pesada, é muito bonita.

Black Dog: Os Sonhos de Paul Nash parte de um trauma e de um evento terrível, mas nas mãos de seus dois atores, se torna uma obra de arte, ainda que macabra, sinistra e assustadora.

Título no Brasil: Black Dog: Os Sonhos de Paul Nash

Título Original: Black Dog: The Dreams of Paul Nash

Autor: Dave Mckean

Tradução: Bruno Dorigatti

Gênero: Graphic Novel

Ano de lançamento: 2016

Editora: DarkSide Books

Número de Páginas: 120

Fotos: Fernanda Cavalcanti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s