livros

Júlio César, William Shakespeare

– “Men at some time are masters of their fates. The fault, dear Brutus, is not in our star, but in ourselves, that we are underlings”.

´- “Os homens algumas vezes são os mestres de seus próprios destinos. A culpa, querido Brutus, não é do destino, mas sim de nós mesmos”. – Traduzido livremente por Fernanda Cavalcanti

Júlio César acompanha a conspiração e o assassinato do personagem título e mais tarde, as consequências de tudo isso. A peça é inspirada em acontecimentos reais.

Júlio César é uma peça e por isso, é escrita dessa maneira, o que pode desagradar quem não está acostumado com esse tipo de leitura. Ler uma peça é bem diferente de ler um romance, já que o primeiro quase não tem descrições e não tem prosa, ela consiste basicamente de rubrica e falas, é mais fácil de se confundir nessas leituras, mas elas também são mais rápidas.

A peça leva o nome de Júlio César, mas na realidade, ele aparece bem pouco. A trama é focada na conspiração para mata-lo e no que acontece depois que várias pessoas já embarcaram no plano, e de uma certa forma, roda ao redor dele, mesmo que ele não apareça tanto assim.

Quem ganha mais destaque na realidade é Bruto, um dos conspiradores, que parece ser mais próximo de Júlio do que os outros. Tudo acontece de maneira relativamente rápida, então essa relação não é especialmente explorada, o leitor compreende pelas falas dos personagens.

A peça fala sobre mentiras, traições, mas também sobre revoluções e mudanças na política, mesmo que seja através de morte, assassinato e golpes. A sensação que se tem quando se está lendo Júlio César é que a trama é uma história cíclica, que sempre se repete, então, Júlio é um ditador, que reina absoluta, mas que se vê de frente a uma conspiração, que eventualmente o tira do poder, os conspiradores, no entanto, tem pouco tempo para desfrutarem sua nova posição antes que as conspirações contra eles também comecem.

Júlio César também é inspirado em eventos reais da história romana e por isso, sua leitura é uma maneira de aprender. Aqui Shakespeare romantiza a vida de Júlio César e de outros personagens de maneira que caiba dentro da trama que ele pretende contar, mas ainda se mantém fiel aos fatos reais.

A leitura de Júlio César no entanto, é uma leitura difícil, que vai aos poucos se tornando cansativa e um pouco chata. Claro que a peça vai agradar quem gosta do autor e quem está acostumado a ler teatro, mas o público geral pode se sentir um pouco entediado durante a leitura.

Título no Brasil: Júlio César

Título original: Julius Caesar

Autor: William Shakespeare

Tradução: José Francisco Botelho

Gênero: Clássico, Teatro

Ano de lançamento: 1599

Editora: Penguin

Número de Páginas: 248

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s