Adaptações, filmes

Filme: O Jardim Secreto, 2020

Mary Lennox (Dixie Egerickx), de dez anos, é mandada para viver com seu tio, Archibald Craven (Colin Firth) depois que seus pais morrem. Quando chega a mansão do tio, Mary precisa lidar com o luto, enquanto se acostuma com a austeridade do local, o fato de Mary ser mimada e mal-acostumada também não ajuda em nada.

Um dia durante as suas andanças solitárias pela propriedade, ela encontra um jardim secreto, que mais tarde, ela descobre pertencia a sua mãe e a sua tia. Mary rapidamente gosta do lugar e logo mais, enquanto anda pela mansão, ela conhece seu primo, Colin (Edan Hayhurst), que segundo o próprio garoto, não pode andar porque é um corcunda.

Mary tenta convencer Colin a sair da mansão e conhecer o jardim, ao mesmo tempo em que ela investiga os segredos da família.

O Jardim Secreto é inspirado no livro de mesmo nome, de Frances Hodgson Burnett.

O Jardim Secreto é um filme relativamente fiel a obra de Frances Hodgson Burnett, embora ele muda alguns pequenos detalhes e pareça querer tentar modernizar a história. A personagem principal da trama é Mary Lennox, de dez anos, que vive uma vida luxuosa na Índia, com seus pais, até que eles morrem de cólera. A menina então, é mandada para viver com seu parente mais próximo, o marido da irmã de sua mãe, Archibald Craven.

Archibald é um homem sério e rígido, que vive em uma mansão escura e sinistra, comandada com mãos de ferro por Mrs. Medlock (Julie Walters), a governanta. Ele nem se dá ao trabalho de conhecer sua sobrinha recém-chegada, e Mary se sente completamente isolado no local. Por outro lado, Mary também tem uma personalidade difícil e está acostumada com uma vida de luxo, com criadas que fazem tudo para ela, por isso, quando ela chega na mansão, ela não sabe nem se vestir sozinha.

Mary começa a explorar o lugar e não só descobre um jardim que pertenceu a sua mãe e sua tia, como também conhece seu primo, Colin, que está preso em uma cama, porque acredita que é corcunda e não pode andar. Mary, no entanto, desconfia do que Colin fala, já que ela não vê nenhuma corcunda no menino e acha que pode ser uma boa ideia leva-lo até o jardim.

O filme desperta no telespectador sentimentos similares aos que o livro desperta, no começo, achamos que Mary é possivelmente a personagem mais chata da trama e nos questionamos porque exatamente uma pessoa tão desagradável é a protagonista de uma história para crianças, mas é justamente a evolução de Mary que estamos acompanhando. Ela chega a mansão do tio como uma criança mimada, que ainda por cima, está em luto pela morte de seus pais, mas que com o tempo vai mudando.

Primeiro ela se aproxima da natureza e do jardim, que antes pertenceu a sua mãe e assim, automaticamente se aproxima da mãe, depois se aproxima do primo, Colin e mais tarde, do tio, Archibald. A grande questão de O Jardim Secreto é que todos os personagens estão amargos, devido a uma série de tragédias.

Mary é uma menina mimada, que perdeu os pais e se vê sozinha pela primeira vez, Colin é um menino que não sai da cama e que acredita que não pode andar, Archibald é um viúvo austero, que mal se aproxima do filho e até Mrs. Medlock, que nem faz parte da família, parece ter absolvido a energia do local. Os únicos personagens que são alegres são a criada (Isis Davis) e Dickon (Amir Wilson), um menino que Mary conhece no jardim.

Mary vai aos poucos, melhorando, superando o seu luto, deixando de ser amarga e se tornando uma criança mais feliz e que está disposta a ajudar os outros e é assim que ela começa a tentar mudar a vida de Archibald e Colin.

Mas como acontece no livro, que é lento, arrastado e não agrada tanto as crianças dos dias de hoje, o filme, a partir de um momento, também se torna cansativo. Claro que O Jardim Secreto tem seus méritos, a parte técnica do filme, por exemplo, é muito cuidadosa. Não só os figurinos são muito bonitos, como também refletem muito bem o período em que o filme se passa e os cenários também são lindos.

O longa também tem uma maneira bem interessante de diferenciar o que se passa na Índia, antes das mortes dos pais de Mary e o que se passa depois que ela chega na mansão de Archibald. Na primeira fase, tudo é mais colorido e mais claro, com uma luz que até parece solar, na segunda fase, tudo é escuro e cheio de sombras, como se refletisse não só os sentimentos de Mary, como também o clima na mansão, onde todo mundo é triste a amargurado.

O Jardim Secreto também se beneficia de efeitos especiais atuais, já que tem várias cenas das flores e plantas crescendo enquanto Mary anda pelo jardim, que dão uma sensação interessante ao filme e que não está presente no filme de 1993, época onde esses efeitos seriam impensáveis.

O Jardim Secreto é um filme bem fiel a obra que o inspirou e até se sai bem por um tempo, mas ao longo do filme, acaba se tornando parado e tedioso. No entanto, ele tem grandes chances de agradar tanto os fãs do livro, quanto os fãs do filme da década de 90, já que as três obras são bem parecidas.

Título no Brasil: O Jardim Secreto

Título original: The Secret Garden

Direção: Marc Munden

Gênero: Fantasia, Família, Drama

Nacionalidade: Reino Unido

Ano: 2020

Duração: 1h 40min

Elenco: Dixie Egerickx, Colin Firth, Julie Walters, Edan Hayhurst, Amir Wilson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s