filmes

Filme: Dora e Gabriel, 2020

Gabriel (Ary França), um imigrante libanês, é sequestrado no centro de São Paulo e colocado dentro do porta malas de seu próprio carro, já Dora (Natalia Gonsales), que nem o conhece, mas testemunha o sequestro, também é jogada ao lado dele.

Gabriel e Dora então, passam a dividir um espaço minúsculo, enquanto tentam entender o que aconteceu e lutam por suas vidas.

O grande acontecimento de Dora e Gabriel é o sequestro que coloca os dois no mesmo porta malas e o que os obriga a se conhecerem, interagirem e em última instância, dependerem um do outro para sobreviver. E mesmo assim, isso acontece de maneira muito rápida, e logo nos primeiros minutos do filme.

A partir daí o telespectador começa a acompanhar o que acontece dentro do porta malas do carro e como Dora e Gabriel lidam com aquilo. Dora rapidamente fica desesperada e paranoica, ela diz que lhe falta o ar e começa a questionar como que ela foi parar naquele carro, já Gabriel é um pouco mais tranquilo, e embora perceba que a situação não é boa, tenta ficar calmo e escutar o que acontece fora do porta malas.

O telespectador, assim como os protagonistas, só sabe o que acontece no local em que os personagens estão e pode apenas supor quem são e quais são as intenções das pessoas que falam e interagem do lado de fora. A intenção de Dora e Gabriel é exatamente essa: colocar a audiência no lugar de seus personagens e o filme se sai bem nesse quesito.  

No entanto, Dora e Gabriel foca muito nos seus dois protagonistas, que são praticamente os únicos personagens que aparecem no filme e por isso, ele precisa que esses personagens sejam bem escritos e tenham questões a serem exploradas.

Quando Dora e Gabriel são jogados no porta malas eles não se conhecem e o telespectador também não sabe nada sobre eles, mas enquanto o sequestro ocorre, os dois começam a conversar e vamos os conhecendo.

A plateia não fica sabendo muito desses personagens, sabemos informações meio básicas, como nome, idades, profissão e alguns detalhes da vida pessoal, mas as informações muito pessoais não fazem tanta falta, já que a ideia é justamente acompanharmos esse casal durante o sequestro e não em nenhum outro momento de suas vidas. É interessante também que Dora e Gabriel mantenha um certo mistério ao redor da vida dessas pessoas e que em determinados momentos, até dê a entender que na realidade, eles guardam segredos que talvez se relacionam com o que acontece no momento, mas nunca deixe isso totalmente claro.

Dora e Gabriel é um filme relativamente simples nos seus aspectos técnicos, o filme tem basicamente um cenário, dois atores e os figurinos deles, além disso, vemos apenas alguns flashs de outros lugares e outros atores nos poucos momentos em que o porta malas é aberto. O fato do filme ser pequeno, no entanto, não é um problema, já que ele tem tudo que é necessário no roteiro e nos diálogos.

O longa se esforça em mostrar o que acontece com Dora e Gabriel durante o sequestro dos dois, os atores aparecem cada vez mais suados, as roupas cada vez mais bagunçadas e os cabelos pouco a pouco vão se embaraçando, o que dá uma sensação de realidade e desespero a trama. Além disso, Dora e Gabriel tem um tom claustrofóbico, e uma fotografia escura, que coloca a plateia, mais uma vez, na pele de Dora e de Gabriel. O filme também conta com a boa atuação de Ary França, ótimo no papel de Gabriel.

A ideia de Dora e Gabriel é bem interessante e durante um tempo, enquanto estamos descobrindo quem são aqueles personagens e tentando entender como eles acabaram naquela situação, prende bastante a atenção, mas a falta de mudanças de cenários vai deixando o filme cansativo com o tempo. O longa insinua uma questão política, uma vez que os protagonistas comentam sobre o Brasil e a situação em que o país se encontra, mas não fica muito claro qual exatamente é a intenção do diretor ou sequer se existe uma dimensão mais profunda em relação a esse assunto.

Dora e Gabriel é certamente um filme diferente, que consegue colocar a plateia sentindo o mesmo que seus personagens e que prende a atenção durante bastante tempo, mesmo que o final seja um pouco mais lento. O longa chega aos cinemas no dia 23 de setembro.

Título no Brasil: Dora e Gabriel

Título original: Dora e Gabriel

Direção: Ugo Giorgetti

Gênero: Drama

Nacionalidade: Brasil

Ano: 2020

Duração: 1h 30min

Elenco: Ary França, Natalia Gonsales

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s