Adaptações, filmes

Filme: A Lenda de Candyman, 2021

O artista visual Anthony McCoy (Yahya Abdul-Mateen III) e sua namorada, Brianna Cartwright (Teyona Parris) se mudam para o bairro de Cabini Green, que costumava ser lar de um conjunto habitacional, mas que recentemente foi renovada e se tornou habitação de cidadãos de alta classe.

A alguns anos atrás, Cabini Green foi assombrada por uma lenda conhecida como Candyman (Tony Todd), que supostamente aparece depois que alguém repete seu nome cinco vezes em frente ao espelho.

Logo Anthony se interessa pela lenda e começa a pesquisa-la a ponto de começar a usa-la no seu trabalho, enquanto as obras de Anthony começam a chamar atenção, uma nova onda de assassinatos acontece no bairro e o artista se vê cada vez mais mergulhado na lenda e nos seus perigos.

A Lenda de Candyman é inspirada no livro Candyman, de Clive Barker.

A Lenda de Candyman parte da ideia do filme O Mistério de Candyman, de 1992, também inspirado no conto de Barker, e que acompanha Helen Lyle (Virginia Madsen), uma antropóloga que pesquisando lendas urbanas acaba esbarrando na lenda de Candyman e ficando obcecada. O filme também se passa no bairro de Cabini Green, mas quando ele ainda era um bairro de classe baixa, conhecido pelo seu conjunto habitacional, onde o Candyman, aparentemente, anda com tranquilidade.

Aqui, Cabine Green já se tornou um bairro de alta classe e por isso, recebe Anthony, um artista plástico e sua namorada, Brianna, uma galerista competente. Mas é claro que o bairro ainda guarda lembranças de antigamente, e a lenda de Candyman segue firme e forte no local. Anthony, como Helen, fica obcecado pela história assim que a escuta pela primeira vez e isso começa a refletir no seu trabalho, que passa a fazer mais sucesso, mas ainda assim, Anthony precisa pagar o preço disso.

A Lenda de Candyman é em muitos aspectos, uma obra que já vem com ideias e metáforas sociais desde sua criação, o conto de Barker por exemplo, fala sobre a gentrificação dos bairros de periferia de Londres e o filme de 92, levou o filme para os Estados Unidos e colocou a questão racial como um dos elementos mais importantes da trama, no entanto, a sua protagonista ainda era uma mulher branca, de classe média alta investigando os negros das classes baixas, que no contexto, funcionava como uma “salvadora branca”.

O novo filme não faz isso, aqui o protagonista é negro e os outros personagens que circundam a vida dele também são negros: sua namorada, seu cunhado (Nathan Stewart-Jarrett), seus amigos e o homem (Colman Domingo), que conta a Anthony mais detalhes sobre a lenda. A Lenda de Candyman, portanto, não só fala de um bairro que costumava ter habitantes negros, mas também mergulha na vida de personagens negros.

E é claro que o filme de 2021 é muito mais contundente em relação a suas questões sociais. O bairro que deixou de ser de classe baixa e agora é sofisticado e serve de moradia para pessoas ricas, inclusive Anthony e Brianna, é só uma iniciação para um terror que serve também como analise e exposição da sociedade. O Candyman original era um escravo que se apaixonou por uma mulher branca e foi perseguido, torturado e morto, essa é uma premissa que aparece em O Mistério de Candyman, mas que aqui ganha uma outra dimensão.

A história do Candyman original já é por si só um produto do racismo, mas A Lenda de Candyman mostra que outros Candymans aparecerem depois e que todos eles foram vítimas de racismo. Mais do que isso, vários personagens, quando chamam o nome de Candyman de frente para o espalho, com a intenção de invoca-lo, usam a expressão “say his name” – “diga o nome dele”, em tradução literal -, também usada pelo movimento Black Lives Matter, quando relembram as mortes violentas de negros.

Fica claro por exemplo, que o Candyman não é só uma vítima do racismo – na realidade, uma série de vítimas de racismo -, como também funciona como uma espécie de justiceiro, ainda que não declarado, da população negra, o Candyman, por exemplo, só mata um personagem negro durante o filme todo, todas as outras vítimas são brancas e algumas delas, morrem depois de atacarem personagens negros. Candyman bebe na violência da qual ele mesmo foi vítima.

A Lenda de Candyman é um filme de terror, mas também é uma análise da sociedade, do racismo e da violência contra os negros, embora pudesse mergulhar mais no terror e ser mais enfático em relação a suas críticas sociais, para que elas ficassem claras até para o telespectador mais desavisado.

Também é importante lembrar A Lenda de Candyman é uma continuação direta do filme de 1992, e o longa respeita tanto o conto de Barker, quanto o longa dos anos 90, o que é um aceno aos fãs das duas obras e que dá abertura para que o filme se torne o primeiro – ou segundo – de uma nova franquia. A Lenda de Candyman pode decepcionar um pouco os fãs do gênero do terror, uma vez que ele trabalha muito mais no terror da realidade, do que no terror sobrenatural e fantástico, e que as cenas de violência são muito mais insinuadas do que mostradas, o que de uma certa maneira, funciona muito bem dentro da temática.

A Lenda de Candyman poderia, por exemplo, ser mais claro em relação as suas críticas sociais, como acontece com filmes de terror recentes como Corra! ou Nós, mas ele tem muito mais aspectos positivos, como o fato de ter como protagonistas atores negros e de usar a trama de Barker e o terror dessa história para falar de um terror real, que ressoa no mundo atual.

O longa também trabalha bastante com as sombras, muitas cenas são escuras e deixam o telespectador ver só o necessário, ainda que A Lenda do Candyman tenha figurinos de cores fortes, que chamam a atenção. Boas atuações também ajudam o resultado, Yahya Abdul-Mateen II e Teyonah Parris se saem muito bem nos seus papeis, embora Nathan Stewart-Jarrett fique um pouco desperdiçado no filme e soe como uma espécie de personagem gay obrigatório.

A Lenda de Candyman pode não agradar os fãs de terror mais exigentes, que não vão encontrar cenas tão assustadoras ou violentas, mas é um belo exemplo de terror social, que usa dos monstros do gênero para falar do terror da vida real.

Título no Brasil: A Lenda de Candyman

Título original: Candyman

Direção: Nia DaCosta

Gênero: Terror

Nacionalidade: Canadá, Estados Unidos

Ano: 2021

Duração: 1h 31min

Elenco: Yahya Abdul-Mateen II, Teyonah Parris, Nathan Stewart-Jarrett, Colman Domingo, Vanessa Estelle Williams

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s