livros

O Bosque das Ilusões Perdidas, Alain-Fournier

François Seurel é um adolescente de quinze anos, que vive com seu pai, que é professor em uma espécie de internato para rapazes. François tem dificuldades para fazer amigos, até o dia que Augustin Meaulnes se matricula na escola e os dois se tornam amigos inseparáveis.

Um dia, Augustin se perde e acaba dormindo em um lugar misterioso e desconhecido e quando acorda se vê parte de uma festa, onde conhece uma garota por quem ele se apaixona.

Na volta, ele conta para François sobre a sua aventura e depois passa a procurar um jeito de retornar ao mesmo lugar.

O Bosque das Ilusões Perdidas é, acima de tudo, um romance de formação. Ele acompanha dois adolescentes, que se tornam amigos inseparáveis, até suas idades adultas. François é quieto e prudente, enquanto Augustin é ousado e destemido e assim, os dois se completam, ao mesmo tempo que fazem oposição um ao outro.

O romance aborda temas comuns, que dizem a respeito à vida da maioria dos jovens, mas ele também tem algumas questões fantasiosas, como por exemplo, o lugar misterioso que leva Augustin a uma, aparente, outra realidade. O livro então se divide nessas duas esferas: a realidade, com esses meninos crescendo e se tornando adultos e a fantasia, onde Augustin passou um tempo e tenta desesperadamente retornar.

A ideia é certamente interessante, mesmo porque enquanto Augustin segue buscando esse lugar fantástico e convencendo François de que o lugar é mesmo incrível, ele perde tempo de vida real, quase como uma metáfora para alguém que espera demais por algo, enquanto perde outras coisas boas que poderiam surgir na sua vida se ela estivesse prestando atenção, e essa situação fica ainda maior quando Augustin se apaixona por uma moça que ele conhece na sua fantasia.

Através disso, O Bosque das Ilusões Perdidas passa por toda a juventude de seus protagonistas, mostrando alguns momentos de suas vidas, mas o livro se foca muito na busca dos jovens por esse lugar perfeito.

No entanto, é muito difícil se conectar com esses personagens, talvez porque a história se passe há muito tempo atrás, talvez porque não fique totalmente claro se o tal lugar fantástico existe mesmo ou se é um sonho de Augustin, ou sequer se é para o leitor conseguir diferenciar uma coisa da outra.

Isso acaba tornado o livro um pouco chato, e pouco empolgante. A leitura é fácil e o livro é curto, mas ele tem pouca movimentação e como é difícil se relacionar com aquela trama e com aqueles personagens, a obra fica um pouco entediante.  

É certo que O Bosque das Ilusões Perdidas tem seus méritos e é um livro criativo, mas não é tão interessante quanto sua premissa vende.

Título no Brasil: O Bosque das Ilusões Perdidas

Título original: Le Grand Meaulnes

Autor: Alain-Fournier

Tradução: Bernardo Ajzenberg

Gênero: Clássico

Ano de lançamento: 1913

Editora: Grua Livros

Número de Páginas: 288

Foto: Fernanda Cavalcanti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s