Listas, livros

10 Melhores livros de 2021

2021 terminou e chegou a hora de uma tradição do Além da Toca do Coelho: os 10 melhores livros do ano.

Sempre é bom ressaltar que a lista reflete gostos inteiramente pessoais e que não existe nenhuma intenção de desmerecer qualquer outro título. Os livros também não foram necessariamente publicados em 2021, mas sim lidos por mim no ano passado.

Segue a lista:

1 – Daisy Jones and the Six (2019), Taylor Jenkins Reid: Narrado através de entrevistas, Daisy Jones and The Six acompanha toda a trajetória da banda fictícia que dá nome ao livro, retratando não só as vidas profissionais de seus integrantes, como também as pessoais.

Com personagens cativantes e um grande esforço da autora para que a banda parece muito real, Daisy Jones and the Six não só é escrito de uma maneira bem diferente, como também tem uma trama que prende seu leitor rapidamente.

2 – Paula (1994), Isabel Allende: Em 1991, quando tinha apenas 28 anos, Paula Allende, filha da autora, entrou em coma por complicações de porfiria, uma doença rara. Até aquele momento ainda havia alguma esperança de que Paula pudesse acordar e voltar a ter uma vida normal, por isso, Isabel começa a escrever não só sobre o período em que Paula esteve em coma, mas também sobre a sua própria vida, passando por sua infância, adolescência, a ditadura chilena e seu sucesso como escritora.

Paula é o único livro não ficcional de Allende e em muitos sentidos é uma autobiografia. O livro é triste, delicado, forte e lindo.

3 – 1984 (1949), George Orwell: Winston é um homem simples, que quase não questiona a sua realidade, vivendo em uma ditadura totalitária, até que ele conhece uma jovem que é o seu exato oposto e passa a prestar atenção no que acontece ao seu redor.

Ambientado em um futuro próximo, 1984 é um dos livros distópicos mais famosos de todos os tempos e apresenta uma ideia de futuro muito assustadora, onde todos são observados pelo Grande Irmão, onde a língua foi deturpada a favor do partido – o ministério do amor, por exemplo, é responsável por torturar cidadãos – e onde quem está no poder só se preocupa em manter o mundo como ele está.

1984 já foi comparado as mais diversas ditaduras, dos mais diversos espectros políticos, mas o livro é, na realidade, uma crítica ao autoritarismo, seja da vertente que for.  

4- Nix (2016), Nathan Hill: Samuel Anderson é um professor frustrado, que sonha em ser escritor. Ele não vê sua mãe desde que era criança, quando ela o abandonou sem lhe dar muitas explicações, até que um dia, Faye Anderson está em todos os jornais, depois de ter atirado pedras em um presidenciável de direita.

A mídia pinta Faye como uma militante extremista de esquerda, mas Samuel não lembra da mãe dessa maneira. Seu editor então, o convence a escrever uma biografia sobre a mãe, onde ela vai poder contar todos os supostos segredos dela, mas para isso, Samuel precisa entrar em contato com a mãe e entender tudo que aconteceu entre os dois e na vida dela.

Nix não acompanha só Samuel, mas sim uma série de personagens, em diferentes fases de sua vida, para que assim o leitor possa ir juntando as peças e entender uma história tão intricada e tão criativa.

5- A Insustentável Leveza do Ser (1984), Milan Kundera: Em a Insustentavel Leveza do Ser acompanhamos quatro personagens, Tereza, Tomas, Sabina e Franz, enquanto eles se relacionam de maneira romântica e sexual e refletem sobre amor, compromisso, relacionamentos, infidelidade e em maior medida, a vida, a morte e qual o sentido de estarmos aqui.

6 – Um Lugar Bem Longe Daqui (2018), Delia Owens: A pequena vila de Barkley Cove é assombrada a anos por boatos de que uma menina selvagem vive sozinha no pântano. A menina em questão é Kya Clark que, abandonada por todos os seus familiares, aprendeu a se virar sozinha e a viver do que a floresta lhe dá.

Na adolescência, ela se envolve com dois rapazes, Tate Walker, tão interessado na natureza quanto ela, e Chase Andrews, um atleta popular, que tem curiosidade em saber quem é a garota que vive no pântano. Quando Chase aparece morto, no pântano, a culpa logo recai em Kya.

Um Lugar Bem Longe Daqui acompanha a infância, a adolescência e a vida adulta de Kya, aproximando o leitor da personagem, enquanto narra essa história de formação diferente e misteriosa.

7 – Me Leve com Você (2014), Catherine Ryan Hyde: August Shroeder acabou de perder seu filho, com quem ele planejava uma viagem pelas estradas dos Estados Unidos. Agora, ele pretende chegar ao parque Yellowstone para espalhar as cinzas de Philip.

Logo no começo da viagem seu trailer quebra e ele acaba em uma oficina onde o dono lhe faz uma proposta no mínimo estranha: que August leve seus dois filhos, Seth e Henry, na viagem com ele, já que o pai vai ter que cumprir uma pena de prisão por um tempo. August hesita, mas acaba levando os meninos.

O trio então, começa uma viagem estranha, mas logo estão completamente unidos, enquanto um percebe no outro o que eles já não mais têm nas suas próprias vidas. Me Leve com Você é um livro emocionante, que foge de vários clichês.

8 – Com Sangue (2020), Stephen King: Com Sangue reúne quatro novos contos de King: O telefone do Sr. Harringan, que acompanha um garoto que se comunica com um senhor já falecido através de um Iphone que pertenceu a ele, A Vida de Chuck, que aparentemente, narra o apocalipse, Com Sangue, que segue a detetive Holly Gibney – personagem de Outsider e da  Trilogia Bill Hodges, na sua primeira investigação solo e Rato, que acompanha um escritor que se isola em uma cabana com a intenção de escrever um romance e se depara com uma visita desagradável e terrível.

9 – Minha Sombria Vanessa (2020), Kate Elizabeth Russell: Quando adolescente, Vanessa Wye teve um “relacionamento” com seu professor, Jacob Strane, de quarenta e dois anos. Ela se lembra do acontecimento como uma história de amor, completamente consensual e inclusive, ainda conversa com ele de vez em quando.

Até que outra mulher, que também foi aluna de Strane, o acusa de abuso sexual, e Vanessa começa a pensar se o seu primeiro amor completamente idealizado, na verdade, foi uma série de abusos. Minha Sombria Vanessa conta, alternativamente, o passado e o presente de Vanessa, deixando claro para o leitor quais foram as sequelas do passado no presente da protagonista.

Vendido como um Lolita da versão da vítima, Minha Sombria Vanessa é uma leitura pesada – tem cenas de sexo explicitas e de abuso envolvendo menores de idade -, mas muito relevante e muito importante.

10 – Mulheres Extraordinárias: As Criadoras e a Criatura (2015), Charlotte Gordon: Mary Wollstonecraft, escritora de Uma Reivindicação pelos Direitos da Mulher e Mary Shelley, escritora de Frankenstein, tem muito mais em comum do que serem mãe e filha. Embora as duas tenham passado pouco tempo juntas – Wollstonecraft morreu uma semana depois de dar à luz a Shelley, em função de infecção – as vidas delas se espelharam de maneira surpreendente e as ideias de Wollstonecraft moldaram a vida de sua filha, Mary Shelley.

Mulheres Extraordinárias: As Criadoras e a Criatura é uma biografia dessas duas mulheres muito a frente de seu tempo. Os capítulos alternados contam a vida de Wollstonecraft e Shelley, enquanto compara essas duas vidas incríveis, deixando claro o quanto mãe e filha foram importantes.

Foto: Fernanda Cavalcanti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s