livros

MaddAddão, Margaret Atwood

“Existe a história, e depois a verdadeira história, e depois a história de como a história foi contada. E depois o que se deixou de fora da história. O que também faz parte da história”.

Depois de resgatarem Amanda Payne das mãos de dois criminosos e se encontrarem com Jimmy, Ren e Toby encontram uma colônia, que depois da pandemia e da morte de grande parte da população mundial, tenta reconstruir a sociedade.

Lá também vivem várias pessoas que fizeram parte dos Jardineiros de Deus, uma seita da qual Ren e Toby também foram membros, inclusive Zeb, que costumava ser padrasto de Ren e por quem Toby está apaixonada, e os Crakers, os humanoides criados por Crake, que começam a criar sua própria mitologia.

Enquanto eles tentam sobreviver, alguns criminosos rondam o lugar e se tornam uma ameaça.

MaddAddão é o terceiro livro da trilogia de mesmo nome, e é precedido por Oryx e Crake e O Ano do Dilúvio.

MaddAddão começa exatamente de onde O Ano do Dilúvio parou, Ren e Toby conseguem finalmente encontrar e recuperar Amanda, que tinha sido sequestrada por dois criminosos, e também esbarram em Jimmy, a quem os Crakers chamam de Homem das Neves e ex-namorado de Ren, e prendem os dois criminosos por um tempo, mas em um descuido deixam eles irem. Logo eles encontram um grupo de pessoas que tenta recriar uma sociedade, entre eles estão alguns dos ex-membros dos Jardineiros de Deus e os Crakers, os humanoides criados por Crake para substituírem os seres humanos.

Enquanto Oryx e Crake e O Ano do Dilúvio se passam no mesmo período de tempo e narram a mesma história de pontos de vistas diferentes, MaddAddão reúne as tramas e os personagens dos dois livros e segue a história a partir daí. O que o livro narra é basicamente a reconstrução da sociedade depois que uma pandemia, causada por Crake, matou boa parte da população mundial.

A estrutura de MaddAddão é muito parecida com a estrutura de seus dois antecessores, o leitor acompanha o que acontece no presente da história e alguns flashbacks, que aqui contam a história de Zeb, ex-integrante dos Jardineiros de Deus, e atual amante de Toby, que tem um passado misterioso e que busca Adão Um, o criador da seita. Apesar de contar a história de Zeb, quem narra o livro todo é Toby, que agora não só escuta a história do amante, como também conta o que acontece nessa nova sociedade, e passa a contar histórias do passado para os Crakers.

A relação entre os Crakers e Toby é muito interessante, porque é assim que Atwood representa o nascimento dessa nova sociedade, já que a civilização de fato começa quando os seus integrantes começam a contar histórias e criam suas próprias lendas e mitologias, e é exatamente isso que Toby está fazendo com os Crakers.

Por outro lado, já não existem mais muitos mistérios na trama de MaddAddão, já que boa parte da história já foi contada em Oryx e Crake e O Ano do Dilúvio, e MaddAddão se resume basicamente ao que acontece nessa nova comunidade, o que não é tão interessante quanto o que já lemos antes. A história de Zeb prende um pouco mais a atenção e fecha alguns pontos que faltavam na trilogia, mas o segundo volume ainda é o mais instigante da trilogia, justamente porque as histórias de Ren e Toby são as mais fáceis de acompanhar.

É claro que a trilogia toda é muito bem pensada, e é possível perceber que Atwood de fato pensou em tudo, os três livros se encaixam muito bem e as pistas vão sendo dadas ao leitor aos poucos, Atwood tem tanto conhecimento do universo que ela criou, que ela sabe exatamente quando contar o que e quando apresentar o que, o que faz de MaddAddão um grande livro, que fecha a trilogia com maestria, ele só não é tão empolgante e movimentado quanto os anteriores, porque retrata uma fase menos movimentada da trama pensada pela autora.

A escrita de Atwood é maravilhosa, por isso, a leitura é rápida, o fato de acompanharmos personagens que já conhecemos dos outros livros, deixa a leitura ainda mais prazerosa e instigante, MaddAddão também é encerramento perfeito para esse mundo distópico que Atwood criou.

O último livro da trilogia MaddAddão junta, finalmente, as tramas dos três livros em uma só e explica a quem leu tudo que faltava saber, ao mesmo tempo, que dá ao leitor esperança pelos personagens que ele vem acompanhando a um tempo.

Título no Brasil: MaddAddão

Título original: MaddAddam

Autora: Margaret Atwood

Tradução: Márcia Frazão

Gênero: Ficção cientifica

Ano de lançamento: 2013

Editora: Rocco

Número de Páginas: 448

Foto: Fernanda Cavalcanti

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s