Adaptações, filmes

Filme: Morte no Nilo, 2022

A herdeira Linnet Ridgeway (Gal Gadot) se casa com Simon Doyle (Armie Hammer), e os dois vão se casar e passar a lua de mel em um barco no Nilo. Entre os convidados da festa, está a ex-namorado de Simon e ex-amiga de Linnet, Jackie de Bellefort (Emma Mackey), que agora persegue o casal, além do detetive Hercule Poirot (Kenneth Branagh).

Um dia, Linnet amanhece morta e todos no barco se tornam suspeitos automaticamente, e enquanto Poirot investiga, outras mortes passam a acontecer.

Morte no Nilo é inspirado no livro de mesmo nome de Agatha Christie.

A primeira coisa que é preciso dizer é que Morte no Nilo é bem fiel ao livro de Christie, o que claro, pode agradar os fãs da obra. O filme conta a história dos recém-casados Linnet e Simom, ela uma herdeira riquíssima, que convidam vários amigos e familiares para o seu casamento, seguido de lua-de-mel, em um barco que atravessa o Nilo.

Mas o filme não é narrado só do ponto de vista dos dois – Simon, aliais, tem poucas cenas, já que a participação de Armie Hammer foi reduzida depois das acusações de abuso sexual e canibalismo – e boa parte dos personagens podem dar sua versão dos fatos, o que é bem comum nas obras de Christie. Além de Linnet e Simon, tem mais onze pessoas no barco: Hercule Poirot, seu amigo, Bouc (Tom Bateman), a mãe dele, Euphemia (Annette Bening), Linus Windlesham (Russell Brand), um médico e ex-noivo de Linnet, Andrew Katchadourian (Ali Fazal), primo de Linnet, Louise Bourget (Rose Leslie), a criada pessoal de Linnet, Marie Van Schuyler (Jennifer Saunders), a madrinha de Linnet e a amante secreta dela, Mrs. Bowers (Dawn French), Salome Otterbourne (Sophie Okonedo), uma cantora de jazz, Rosie Otterbourne (Letitia Wright), colega de escola de Linnet e Jackie.

A trama é clássica de Christie: um assassinato e vários suspeitos presos em um lugar onde ninguém pode entrar ou sair. Aqui a assassinada é Linnet e todas as outras pessoas do barco, a não ser Poirot, tem um motivo para matar a herdeira e se tornam suspeitos automaticamente. A situação piora quando Poirot vai descobrindo alguns segredos e mais assassinatos acontecem.

É interessante que por mais batido que a artimanha de Christie seja, Morte no Nilo, como acontece também com outros livros da autora, ainda é surpreendente e a investigação prende a atenção, é difícil prever quem realmente matou Linnet e as outras pessoas.

Ainda que seja bem fiel ao livro, Morte no Nilo traz algumas modernizações a trama, que caem muito bem nos dias de hoje, como por exemplo, as menções abertas e claras a sexo, que não existem no livro e a relação entre Marie e Mrs. Bowers, que dá a Morte no Nilo um ar de século XXI e que é muito bem-vinda. O fato das obras de Christie continuarem sendo adaptadas ainda nos dias de hoje mostram que a autora ainda tem o que falar para o público atual, mas é uma modernização é sempre bom para que o filme diga respeito a época em que ele foi feito e não só a época em que ele se passa.

O longa também tem uma espécie de prólogo que explica um pouco do passado de Poirot, que também é bem legal e que dá o destaque que ele merece, já que o personagem está presente tanto nesse filme, quanto no anterior, Assassinato no Expresso do Oriente.

O filme se passa em 1937 e os figurinos, penteados e maquiagem refletem isso com perfeição, não poderia ser diferente, já que a produção é enorme e tem muito investimento. É interessante notar que quando o longa começa o figurino de todos os personagens pendem mais para as cores claras, especialmente o de Linnet, que está quase sempre de branco, mas ao longo do filme as roupas vão ficando mais escuras, para demonstrar o humor daqueles personagens, que chegam no barco para uma festa luxuosa, mas se veem no meio de uma série de assassinatos e do perigo constante de um assassino que ronda esse lugar do qual ninguém pode sair. A exceção é Jackie, que usa sempre cores fortes, como vermelho, provavelmente para ressaltar o aspecto sensual da personagem e a relação apimentada dela com Simon.

O elenco se sai bem, mas como tem muitos personagens no filme ninguém ganha muito destaque, a não ser Kenneth Branagh que interpreta Poirot e que é o verdadeiro protagonista dessa nova safra de filmes baseados nas obras de Christie. Ao contrário do que parece, o personagem de Armie Hammer, que é um dos personagens importantes, não faz tanta falta assim na trama e a edição para diminuir sua participação foi bem-feita.

Outro grande destaque de Morte no Nilo é, é claro, seu cenário, a fotografia é belíssima e as paisagens naturais são muito bonitas. Como a produção é competente, a plateia se sente naquele lugar, junto com os personagens.

Morte no Nilo é também um filme que prende a atenção e que funciona como um bom entretenimento, ele é também uma boa adaptação, bem fiel a obra de Christie, que ainda consegue se adequar aos dias de hoje.

É verdade que a investigação é simples, assim como os crimes em si, ainda que surpreendente, mas isso é uma questão que está presente na obra original e é impossível negar que mesmo nesse parâmetro, Christie era muito boa no que fazia e tinha muita habilidade em despistar seus leitores, Morte no Nilo faz exatamente a mesma coisa.

Morte no Nilo é um filme fiel ao livro em que foi inspirado e que prende a atenção do telespectador do começo até o fim.

Título no Brasil: Morte no Nilo

Título original: Death on the Nile

Direção: Kenneth Branagh

Gênero: Policial, Suspense

Ano: 2022

Duração: 2h 7min

Elenco: Kenneth Branagh, Gal Gadot, Emma Mackey, Armie Hammer, Annette Bening

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s