livros

As Seis Mulheres de Henrique VIII, Antonia Fraser

“Nós somos como potes numa rota d´água (…) um em cima, o outro embaixo, um cheio, o outro vazio; diz a lei da fortuna que nada pode continuar por muito tempo no único e mesmíssimo estado”.  

Sinopse: “Fraser mistura sexo, sentimento e intriga na corte. Em dose certa. Consegue fazer um livro de história com um texto inteligível e irresistível.” Sunday Times “ Divorciada, decapitada, morta, divorciada, decapitada, sobrevivente.” Assim foram as seis mulheres de Henrique VIII – Catarina de Aragão, Ana Bolena, Jane Seymour, Ana de Cleves, Catarina Howard e Catarina Parr – passaram a ser popurlamente conhecidas. Não tanto pelas vidas que tiveram, mas pela maneira pela qual essas vidas acabaram. Da mesma forma, ficaram estereotipadas como a Esposa Traída, a Tentadora, a Boa Mulher, a Irmã Feia, a Moça Má e a Figura de Mãe. A historiadora e autora do livro prova de forma brilhante e conclusiva que as mulheres de Henrique tinham personalidades fortes e sensíveis. Vítimas da obsessão do rei por um herdeiro homem, mas não vítimas passivas, demostraram força e inteligência. A autora abre novas perspectivas de compreensão da vida social de um interessante período da história britânica, de 1509 a 1547

Fonte: https://www.amazon.com/As-Seis-Mulheres-Henrique-Viii/dp/8577991059

As Seis Mulheres de Henrique VIII é um livro histórico que narra exatamente o que o titulo propõe: a história das seis mulheres que se casaram com o rei da Inglaterra: Catarina de Aragão, Ana Bolena, Jane Seymour, Ana de Cleves, Catarina Howard e Catarina Parr.

Uma das coisas que mais chama atenção em relação a esse livro é que ele foca nas esposas e não no rei, como a própria autora diz na introdução, existem diversos livros e diversas informações sobre Henrique VIII, mas na maioria das vezes, as mulheres em suas vidas são resumidas a estereótipos, ou a maneira como elas morreram. O que Antonia Fraser faz nesse livro é nos mostrar a vida dessas mulheres.

Claro que também recebemos informações sobre o rei, mas são só as necessárias para que compreendamos a história. O livro começa falando sobre Catarina de Aragão que casou primeiro com o irmão mais velho de Henrique, Arthur, mas que ficou viúva muita nova e por fim, acabou casada com Henrique. Fraser nos dá diversas informações sobre Catarina e sua vida e criação na corte da Espanha, e também não poupa detalhes sobre o seu tempo de reinado e a sua queda.

Então, acompanhamos Ana Bolena, certamente a esposa mais conhecida, que não vinha de origem nobre, mas que conquistou o rei e que tem até hoje uma fama negativa e assim, Fraser nos leva até Catarina Parr, a última espoa do rei.

É verdade que existe muito mais conteúdo sobre as primeiras esposas do que sobre as últimas, o que pode acontecer devido ao tempo em que cada rainha reinou (Catarina de Aragão, sobre quem se tem mais informação reinou por mais de 20 anos, enquanto algumas das esposas não completaram nem um ano de reinado), e também devido ao fato de que Catarina de Aragão e Ana Bolena são mais famosas que Catarina Howard ou Catarina Parr.

De qualquer forma, o livro tem muito mais conteúdo sobre qualquer uma dessas mulheres do que eu já tive contato na minha vida, Fraser inclusive desmente alguns boatos que existem sobre algumas das esposas ou de outras mulheres que fizeram parte da vida de Henrique, como o fato da irmã de Ana, Maria Bolena ter tido um filho do rei (Maria de fato teve um filho, mas não foi do rei e sim de seu marido).

Mais do que isso, Fraser quebra os estereótipos que circundam essas mulheres, então, Ana Bolena até pode aparecer como a mulher que seduziu o rei da Inglaterra, afinal, ela de fato o fez, mas ela não é descrita como uma mulher linda e provocadora, a autora até fala que Ana provavelmente tinha olhos um tanto grandes, que não estavam dentro do padrão de beleza da época e que Ana de Cleves, recusada pelo rei por ser “feia”, na verdade não o era, apenas não tinha agradado Henrique.

A autora também bate na tecla de que todas essas mulheres eram extremamente inteligentes, especialmente para a época em que viveram, aonde as mulheres eram consideradas inferiores aos homens, mas é impossível negar que todas elas fizeram suas tramas e esquemas, de maneira inteligente, para subir na vida e conseguir o que queriam. É verdade que elas não o fizeram por mérito próprio e em muitos casos usaram de sua beleza e sexualidade, mas que meios que as mulheres tinham naquela época? Fraser também destaca que as seis mulheres eram alfabetizadas, algo raríssimo para a época e que algumas delas, como Catarina de Aragão eram de fato estudadas. Então, o livro não deixa de ser um relato sobre mulheres interessantes e fortes.

Outra coisa que aparece muito forte no texto é que embora essas mulheres fossem inteligentes, elas eram sempre reprimidas pelos homens, na maioria das vezes na pessoa do rei. Henrique pode ter se divorciado de Catarina de Aragão para casar com Ana Bolena, mas não pensou duas vezes antes de acusa-la de traição e manda-la a guilhotina quando se apaixonou por Jane Seymour. Assim como Bolena, esse é o destino mais comum de todas as mulheres do rei, idolatradas no começo e descartadas depois de um tempo.

Fraser também destaca muito a obsessão do rei, e da nação inteira, pelo nascimento de um herdeiro homem, o que em alguns casos selou o destino de suas esposas, mas que ironicamente quem sucedeu Henrique no trono na verdade foi Elizabeth I, única filha de Henrique e Ana Bolena. Quando eu digo selou o destino, é exatamente o que isso quer dizer, uma vez que se Catarina de Aragão ou Ana Bolena tivessem tido um filho homem (elas sofreram diversos abortos e alguns dos filhos homens que tiveram, eram natimortos), seria muito improvável que o rei tivesse sequer pensado em se livrar delas.

Quando se fala em livro histórico tem-se essa ideia de que o livro é necessariamente maçante, e que só vai agradar pessoas que gostam de história ou que gostam desse tema especifico, mas não é o que acontece com As Seis Mulheres de Henrique VIII. Fraser é uma escritora especializada em romances históricos, ela já escreveu sobre Maria Antonieta e Rei Charles II e sua escrita é muito interessante e de fato se parece com literatura, por isso a leitura é bem fácil, além de interessante. O livro também tem uma parte com “fotos” que também é ótima.

As Seis Esposas de Henrique VIII é um livro que mistura com perfeição entretimento e informação.

Capa comum: 574 páginas

Editora: Best Seller; Edição: Edição de bolso (27 de fevereiro de 2009)

Idioma: Português

ISBN-10: 8577991059

ISBN-13: 978-8577991051

Dimensões do produto: 17,6 x 11,6 x 2,4 cm

Peso de envio: 358 g

Fonte: https://www.amazon.com/As-Seis-Mulheres-Henrique-Viii/dp/8577991059

Imagem: Fernanda Cavalcanti

 

 

 

 

Um comentário em “As Seis Mulheres de Henrique VIII, Antonia Fraser”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s