Adaptações, filmes

Filme: Rebecca, A Mulher Inesquecível, 1940

Uma jovem (Joan Fontaine) humilde que trabalha como acompanhante de uma senhora (Florence Bates) rica, conhece Maxim de Winter (Laurence Olivier), um aristocrata viúvo, durante uma viagem a Monte Carlo. Os dois se apaixonam e rapidamente se casam.

A nova Sra. De Winter – de quem nunca sabemos o primeiro nome – se muda para a casa do marido, onde conhece a governanta (Judith Anderson), que não parece muito animada com a chegada da nova dona da casa e logo percebe que todos os empregados do lugar adoravam e sempre mencionam a primeira Sra. De Winter, Rebecca.

A situação na casa vai ficando cada vez mais insuportável, a nova Sra. De Winter não consegue se acostumar com a vida de mulher rica, os criados parecem sabota-la, e a presença de Rebecca está em todos os lugares.

rebecca01

A protagonista vai ficando cada vez mais paranoica, enquanto tenta desvendar os segredos da casa e de Rebecca.

Rebecca, A Mulher Inesquecível é inspirado no livro de mesmo nome de Daphne du Maurier.

O filme é bem fiel ao livro, ele é praticamente o livro passado para a tela de cinema, e funciona. O longa tem essa aura de suspense, que também está presente no livro e que Hitchcock consegue fazer muito bem. O telespectador sente que tem alguma coisa estranha acontecendo naquela casa, embora não saiba precisar exatamente o que é.

rebecca02

Esse clima, no entanto, vai deixando o telespectador cada vez nervoso e como a nova Sra. De Winter, cada vez mais paranoico. Como todas as outras pessoas do filme (e do livro) parecem não notar as mesmas coisas que a protagonista, essa sensação fica ainda maior. O filme funciona muito bem nesse sentido.

Existem vários pontos interessantes em Rebecca, A Mulher inesquecível, tanto no filme quanto no livro. O primeiro é que acompanhamos uma protagonista da qual nunca ficamos sabendo o nome e isso não faz falta, muito pelo contrário, uma vez que a nova Sra. De Winter está constantemente sendo comparada com Rebecca e que ela mesma se sente na sombra da falecida, é quase natural que ela praticamente não tenha identidade.

Quem dá nome ao livro por outro lado é justamente Rebecca, a ex-mulher de Maxim e se no livro Rebecca aparece em flashbacks, no filme, Rebecca só é citada. No longa de Hitchcock, Rebecca é literalmente uma presença, que nunca é vista, mas que está em todo lugar.

rebecca03

Tem que se dar o devido crédito a uma trama que se sustenta – muito bem, diga-se de passagem – com uma protagonista da qual não sabemos o primeiro nome, nem seu nome de solteira e que tem no título o nome de outra mulher, que está morta desde o primeiro minuto do filme. Rebecca, A Mulher inesquecível não conta a história de Rebecca, embora ela seja extremamente importante na trama.

Outro ponto alto é que assim como o livro, Rebecca, A Mulher Inesquecível é um filme quase que completamente feminino, a protagonista é uma mulher, a antagonista aparente também (Rebecca) e a antagonista que nós de fato vemos também é (a governanta). Os homens fazem pouca coisa por boa parte da trama.

Em relação aos aspectos técnicos, Rebecca, A Mulher Inesquecível é um filme primoroso e muito cuidadoso em seus detalhes, o longo é filmado em preto e branco, o que certamente pode atrapalhar algumas descrições que estão presentes no livro, mas o diretor consegue se virar bem e isso não é um problema.

rebecca04

As atuações também são boas, Joan Fontaine, que interpreta a protagonista, consegue passar toda a paranoia e a aparente loucura ao telespectador. Sua atuação contribui muito para o clima de suspense que permeia o filme todo.

A grande questão com Rebecca, A Mulher Inesquecível é que ele é um filme antigo e é bem típico dessa época, por isso, tem uma montagem mais lenta e menos cortes do que os filmes de hoje. De uma maneira geral, Rebecca, A Mulher Inesquecível é um filme mais devagar e um tanto quanto longo, mas nem por isso, ele é cansativo. O longa prende o telespectador, que quase não vê o tempo passar, no entanto, ele não parece um filme de suspense dos dias de hoje.

rebecca05

Até nesse aspecto, Rebecca, A Mulher Inesquecível é fiel a obra original, que também é bem diferente dos livros policiais ou de suspense dos dias de hoje e que é de certa forma, um pouco lenta. Tanto o livro quanto o filme parecem muito mais preocupados em entregar ao leitor um clima de tensão, do que apresentar uma série de cenas gráficas.

Rebecca, A Mulher Inesquecível é um filme extremamente fiel ao livro que o inspirou e traz uma trama movida por personagens femininas, além de um clima de suspense que deixa qualquer pessoa roendo as unhas.

Título no Brasil: Rebecca, A Mulher Inesquecível

Título original: Rebecca

Direção: Alfred Hitchcock

Gênero: Suspense, Drama

Nacionalidade: EUA

Ano: 1940

Duração: 2h10min

Elenco: Joan Fontaine, Judith Anderson, Melville Cooper, Laurence Olivier, Alfred Hitchcock

 

Um comentário em “Filme: Rebecca, A Mulher Inesquecível, 1940”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s